11 tópicos sobre os atentados de 11 de Março

Atentados 11 Março

Na manhã de 11 de Março de 2004, um grupo de terroristas pôs 13 mochilas com explosivos em quatro comboios dos arredores de Madrid. 11 anos depois recordamos o acontecimento que ficou conhecido como o maior atentado em Espanha, através de 11 tópicos.

1 – O atentado: Às 7h34 da manhã rebentaram as bombas colocadas em quatro comboios num intervalo de cinco minutos. Os comboios dirigiam-se de Alcalá de Henares, um município dos arredores de Madrid, até à estação de Atocha, no centro da capital. Os terroristas tinham colocado 13 bombas, espalhadas pelas várias carruagens. Dos treze explosivos, dez explodiram.

2 – Um dia de terror e luto: Os atentados ocorreram três dias antes das eleições legislativas. Numa altura de campanha eleitoral, todos os partidos políticos suspenderam a campanha eleitoral. O partido que governava na altura, o PP (Partido Popular) concordou com o PSOE (Partido Socialista Obrero Español) em convocar uma manifestação para o próprio dia, cujo lema foi: “Com as vítimas, com a Constituição, pela derrota do terrorismo”.

O Rei Juan Carlos suspendeu todos os seus compromissos e visitou os feridos nos hospitais e as famílias das vítimas. Foram decretados três dias de luto oficial.

Milhares de madrilenos saíram à rua em auxílio das vítimas e foram doar sangue.

3 – As primeiras acusações: O Governo Espanhol precipitou-se acusando, na mesma manhã dos atentados, o grupo terrorista espanhol ETA (Pátria Basta e Libertada). No entanto ainda no mesmo dia, às 21h30, a agência Reuteurs informou que a sede do diário Al Quds Al-Arabi, editado em Londres, recebeu uma carta na qual um grupo ligado à Al-Qaeda reivindicou o atentado.

4 – O dia seguinte: Ao meio dia fez-se um minuto de silêncio em Espanha. Por toda a Espanha houve uma homenagem às vítimas do que ficaria conhecido como o 11-M.

Às 20h do mesmo dia houve manifestações de condenação aos atentados em Madrid e outras cidades espanholas. 11 milhões de pessoas saíram às ruas.

Atentados 11 Março estação

Uma das estações onde se registaram os atentados

5 – Os culpados: Três anos e três meses depois dos atentados, em 2007, foi ditada a sentença, pela Audiência Nacional, depois de um julgamento que durou quatro meses e 17 dias. Posteriormente, o Tribunal Supremo Espanhol confirmou a sentença e foram 18 os condenados.

6 – O 11-M à luz do terrorismo global: Ser dia 11 não foi mera coincidência. Três anos antes, em 2001, houve os atentados nos Estados Unidos que ficaram conhecidos como os ataques do 11 de Setembro. Por trás destes ataques estavam membros da Al-Qaeda.

Em 2003, começou a Guerra do Iraque, cujo principal motivo apontado era o de o Iraque estar a produzir armas de destruição maciça. A Guerra foi liderada pelos Estados Unidos, tendo como principais aliados a Inglaterra e a Espanha.

7 – As eleições: A 14 de Março os espanhóis votaram, fortemente marcados pelos atentados. Dias antes, o PP, partido do então primeiro-ministro, José María Aznar, liderava todas as pesquisas de intenções de votos. Porém, os atentados mudaram tudo, à medida que aumentaram os indícios de que os ataques tinham sido cometidos pela Al-Qaeda e não pelo grupo espanhol ETA.

Quem ganhou as eleições foi José Luis Luis Rodríguez Zapatero, do PSOE, cuja campanha referia como prioridade retirar as tropas espanholas do Iraque.

8 – Uma semana depois: Após uma semana, ainda estavam velas vermelhas acesas em frente à estação de Alcalá de Henares. A segurança nas estações foi veementemente aumentada – em cada plataforma da estação de Atocha havia pelo menos 10 polícias.

9 – Vítimas: Ao todo morreram 191 pessoas e houve 1857 feridos. Dez anos depois, em 2014, o Jornal espanhol diário El País fez uma homenagem às vítimas que pode ser vista aqui.

10 – Um dia que marcou a história de Espanha: Aquele que foi sem dúvida um dos dias mais tristes da história espanhola, permanece marcado na memória do seu povo. Podem-se ler algumas das memórias daquele dia de terror aqui.

Atentados 11 Março comboio

11 – 11 anos depois: Em 2015,  a primeira cerimónia em memória das vítimas foi marcada para as 10h de Espanha, junto ao monumento da estação de Atocha. Às 10h30 foi celebrada uma missa, na Catedral de La Almudena, pelo Arcebispo de Madrid, Carlos Osoro.

Descomplicador:

A 11 de Março de 2004, dez bombas destruíram quatro comboios nas estações de Santa Eugenia, El Pozo, Telléz e Atocha, nos arredores de Madrid, matando 191 pessoas e deixando 1851 feridos. Desde aí que o 11 de Março é recordado como um dos piores atentados terroristas da história da Europa.

xldaus@clrmail.com'
Publicado por: Marta Menezes Ventura

22 anos, natural de Lisboa. Finalista de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Durante o ano lectivo de 2012/2013 participou no Sala de Projeção, um formato da ESCS FM sobre cultura, composto por um directo semanal e um site. Em 2013/2014 foi coordenadora do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *