Revisão do rating português só depois das eleições

Passos CoelhoO Primeiro-Ministro português, Pedro Passos Coelho, está “descansado” quanto ao rating da dívida portuguesa e em Tóquio, no Japão disse aos jornalistas que “só deverá haver uma revisão após as legislativas”, em reacção à manutenção da nota BB+ (lixo) da divida portuguesa.

Passos Coelho afirmou que “os factores politicos são bastante importantes”, justificando assim a manutenção da divida portuguesa como “lixo”, segundo a agência Fitch. “Apesar de o Governo estar muito comprometido com essa agenda, ninguém pode jurar que a seguir às eleições isso se vá manter”, disse Pedro Passos Coelho aos jornalistas.

Ainda assim, Passos Coelho disse que confia “muito que os fundamentos da nossa economia venham a sustentar uma melhoria de ‘rating’, portanto, acho muito natural que, após as eleições, haja uma melhoria”. Numa viagem ao Japão, Passos Coelho esteve reunido com empresários japoneses e com outras individualidades do estado.

Evolução do rating português

O rating português está no nível lixo nas três principais agências mundiais desde o ano de 2011. A Moody’s foi a primeira a reduzir o rating nacional, em Junho de 2011, pouco tempo depois de Passos Coelho tomar posse como Primeiro-Ministro. No entanto a Moody’s foi também a primeira a aumentar o rating português, estando a um nível de sair da zona vermelha

A Fitch tem a dívida portuguesa com a classificação de “lixo” desde Novembro de 2011, mantendo-a sempre ao mesmo nível. Ainda assim na mais recente revisão a perspectiva é positiva, esperando-se que na próxima revisão saia também desta zona de incumprimento.

Por fim, a Standard & Poors foi a última reduzir o rating nacional e foi a agência que mais vezes apontou a dívida portuguesa como estável, dando perspectivas de melhoria da nota da dívida nacional.

O que é o rating?

O rating é uma opinião das agências (são três as mais consideradas) sobre o risco de um credor não pagar as suas dívidas. Quanto mais baixo é esse rating, maior a possibilidade de incumprimento e portanto significa um aumento das taxas de juro.

Muitos credores estão proibidos de investir em dividas consideradas “lixo”, pelo que a saída da zona de incumprimento aumenta o leque de potenciais investidores na dívida nacional.

Descomplicador:

Passos Coelho disse no Japão esperar uma revisão em alta do rating nacional apenas após as eleições legislativas. Ainda assim a notação da divida portuguesa foi revista em alta esperando-se a saída do “lixo” na próxima revisão.

 

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *