Eleições na Madeira. As reações dos líderes nacionais

Eleições MadeiraFoi este domingo que terminaram 37 anos de liderança de Alberto João Jardim na Madeira. O lugar que deixou foi ocupado pelo PSD de Miguel Alburquerque, que não deu hipóteses aos adversários ao atingir uns esmagadores 44, 33% (24 dos 47 deputados do hemiciclo). No segundo lugar do pódio, ficou o CDS-PP, que alcançou 13,69% dos votos e vai sentar sete deputados nas cadeiras do parlamento regional.

Menos satisfeito ficou o PS, que mesmo à frente da coligação “Mudança”, apenas conseguiu eleger seis deputados, tendo indo pouco além de 11% dos votos. Perante o insucesso, Vítor Freitas, líder do partido na região, demitiu-se.

A grande surpresa da noite eleitoral foi a coligação Juntos Pelo Povo (JPP) que agarrou o quarto lugar da votação com 10,34%. Logo a seguir, ficou a CDU, que elegeu dois parlamentares, o mesmo número conquistado pelo Bloco de Esquerda (3,80%). Os 2,05% alcançados pelo PND de José Manuel Coelho valeram-lhe um deputado regional.

Feitas as contas, o Panorama dá-te a conhecer como os vários protagonistas da política nacional interpretam estes resultados.

“A partir de agora não tenho nada a ver com isto”

Foi assim que Alberto João Jardim se despediu de quase quatro décadas como presidente do Governo Regional da Madeira. É com uma “sensação de alívio” que o ex-líder do PSD-Madeira vê Miguel Alburquerque a tomar o seu lugar: “Foi uma vitória por maioria absoluta que era o que eu gostava. Estou satisfeito pelo plano de transição… acabou em cheio”, disse em declarações à Antena 1.

Alberto João Jardim

“Madeirenses voltaram a escolher com responsabilidade e rigor”

Na sequência da vitória do PSD-Madeira nas eleições regionais, Marco António Costa, vice-presidente e porta-voz do PSD nacional, declarou que “os madeirenses foram claros na sua escolha de um PSD renovado, que ofereceu propostas realistas de um futuro de rigor com crescimento económico e coesão social assente numa governação exigente”. O porta-voz do partido atribui um “especial significado” a esta vitória, que deu ao partido a 11ª maioria absoluta das eleições legislativas regionais, mas desta vez sem Jardim.

Os resultados eleitorais “ficaram aquém do que nós ambicionávamos”

Não é difícil imaginar que uma afirmação desgostosa como esta pertença a Porfírio Silva, dirigente nacional do PS. Mas acrescenta que “nenhuma derrota, tal como nenhuma vitória é menor, mas a História demonstra, desde o 25 de Abril, que as eleições regionais são muito particulares e diferentes das eleições nacionais”. O dirigente socialista recusa estabelecer um paralelismo entre os resultados obtidos na Madeira e as futuras eleições no conjunto do país.

Porfirio Silva - PS

Porfirio Silva – PS

O CDS “resistiu muito bem a uma operação política que era uma espécie de todos contra o CDS, promovida pelo PS”

O presidente do CDS-PP congratulou-se assim com o segundo lugar obtido pelo partido. Paulo Portas felicitou ainda o líder centrista madeirense, José Manuel Rodrigues, pelo “resultado especialmente consistente, resistente e sustentado”. Para além das críticas ao partido socialista, o vice-primeiro-ministro acusou as sondagens e a comunicação social de falta de reconhecimento daquele que foi o “segundo partido” nestas eleições regionais.

“O Bloco de Esquerda não atingiu um objetivo que era essencial para nós, que era retirar a maioria absoluta ao PSD”

Apesar de a porta-voz nacional do BE, Catarina Martins, reconhecer que o partido passou ao lado de uma das principais metas, o facto de ter atingido a “maior representação de sempre” na Madeira tornou os resultados finais satisfatórios.

Descomplicador:

Estas eleições foram antecipadas pelo Presidente da República, na sequência do pedido de demissão do social-democrata Alberto João Jardim. Numa situação normal, apenas ocorreriam entre o dia 22 de setembro e o dia 14 de outubro. Nestas eleições concorreram oito partidos (PSD, CDS, BE, JPP, PNR, MAS, PND e PCTP/MRPP) e três coligações – Mudança (PS/PTP/MPT/PAN), CDU (PCP/PEV) e Plataforma de Cidadãos (PPM/PDA).

xflenb@tryalert.com'
Publicado por: Maria Teresa Sousa

20 anos, natural de Lisboa. Finalista de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Colaborou como redatora nas revistas online Oitava Colina e Espalha Factos e foi revisora no Bola na Rede.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *