Prevenar no centro da polémica

O Bloco de Esquerda mostrou-se contra a decisão do Governo de comparticipar a vacina Prevenar apenas a famílias carenciadas. Para o partido bloquista, esta tomada de posição do executivo põe em causa o princípio da universalidade do Serviço Nacional de Saúde.

Em declarações prestadas à Agência Lusa, o deputado bloquista José Soeiro afirmou que “a vacina devia ser incluída no Plano Nacional de Vacinação, respeitando o princípio de universalidade que é fundador do Serviço Nacional de Saúde”. Para o Bloco de Esquerda, esta decisão do Governo acaba por excluir uma franja assinalável de famílias portuguesas que têm grandes dificuldades em pagar as suas despesas.

 paulo

Recorde-se que o Ministério da Saúde avançou que até ao fim deste ano está disponível uma verba de seis milhões de euros para comparticipação da Prevenar, vacina que oferece protecção contra a meningite, pneumonia e septicémia, tendo esta acção o propósito de auxiliar famílias mais desfavorecidas e que de outra forma não teriam forma de chegar a esta vacina.

A não inclusão da Prevenar no Plano Nacional de Vacinação, segundo José Soeiro, não respeita uma resolução aprovada no Parlamento em 2013, sem votos contra, que visava a entrada da vacina nesse mesmo Plano.

 

Descomplicador:

A disponibilização de seis milhões de euros  para comparticipação da Prevenar, por parte do Governo, tem suscitado várias reacções, incluindo o desagrado do Bloco de Esquerda perante esta decisão, já que na óptica do partido o princípio da universalidade passa a não ser respeitado com esta medida.

xlhvve@grandmasmail.com'
Publicado por: João Rodrigues

26 anos, natural das Caldas da Raínha. Finalista de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Foi coordenador de Desporto na ESCS FM no ano 2013/2014, mantendo actualmente um programa na grelha da rádio. É ainda repórter na JVG TV e sou redactor do site desportivo "Bola na Rede".

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *