O 42º aniversário do Partido Socialista

Celebrou-se hoje o 42º aniversário da fundação do Partido Socialista (PS). A cerimónia deu-se no Porto e hoje os simpatizantes e militantes socialistas puderam viajar até lá num comboio destinado às celebrações. O comboio partiu da Estação do Oriente, em Lisboa, e parou noutras cidades, como Santarém, Coimbra e Aveiro até chegar à “Invicta”. Foi nomeado o “Comboio da Democracia.”

Hoje não só se assinalou o aniversário do PS como também os 41 anos – adiantados – da Revolução dos Cravos e os 40 anos das primeiras eleições livres para a Assembleia Constituinte – que o PS venceu.

Já à tarde, no pavilhão Rosa Mota, no Porto, decorreu a “festa” do PS que contou com as atuações de André Sardet, Luís Represas e João Gil, do grupo Diapasão e dos Lucky Duckies. O partido não quis deixar de fora o sentimento de união nacional e assim as várias regiões de Portugal estiveram representadas pela sua gastronomia e artesanato típicos em bancas montadas no pavilhão. Ainda no sentido de enaltecer o orgulho nacional foram homenageados o fado e o cante alentejano.

Depois iniciaram-se os discursos do comício e o primeiro a tomar palavra foi José Luís Carneiro, líder da Federação do PS do Porto, que começou por elogiar a política dos antigos presidentes da República, Jorge Sampaio e Mário Soares, que também estiveram presentes na cerimónia.

Mário SOaresTambém o discurso de João Torres, secretário-geral da Juventude Socialista (JS), enfatiza o papel do PS na consolidação da democracia no nosso país. João Torres refere: “Para nós, a liberdade é o primeiro dos valores. Para nós, todas e quaisquer discriminações merecem uma guerra sem quartel”.

Antes de Mário Soares iniciar a sua intervenção ouviu-se no pavilhão, pelas vozes dos socialistas presentes, “Soares é fixe”, o slogan das suas campanhas presidenciais de 1986 e de 1991. É de destacar no discurso do ex-dirigente socialista o elogio a Francisco Sá Caneiro, Álvaro Cunhal e Freitas do Amaral, os líderes partidários do pós-25 de Abril, assim como a referência ao apoio dos sociais-democratas alemães (SPD) para a Revolução dos Cravos e para os primeiros passos da democracia portuguesa. Soares fez ainda o balanço dos últimos anos da política em Portugal, criticando a destruição do Serviço Nacional de Saúde. Soares terminou o seu discurso dizendo: “o PS é a esperança num mundo melhor, num mundo menos desigual. Viva a liberdade, viva a social-democracia, viva o socialismo, viva Portugal e o nosso líder aqui presente”, referindo-se a António Costa.

Na comemoração do aniversário do PS foi dada especial enfâse à ideia de que PS é o partido baluarte da democracia portuguesa.

 Descomplicador 

Comemorou-se este fim-de-semana o 42º aniversário do Partido Socialista na cidade do Porto. Estiveram presentes simpatizantes, militantes, personalidades da história do PS e foram ainda relembradas muitas outras. O mote deste dia de celebração foi a importância do PS para a democracia portuguesa.

 

xvumfb@grandmamail.com'
Publicado por: Filipa Mourão

20 anos, natural de Lisboa. Finalista de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Foi redactora na revista CAIS através do projecto CAIS-Lab (da ESCS) em 2013.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *