“Manter valores de sempre com causas novas”

Nesta segunda-feira, António Costa encerrou a sessão “mais inovação, melhor economia” realizada pelo Partido Socialista (PS) no ISEG. Num painel de debate moderado por Manuel Heitor, o principal mote foi lançado pela economista italiana Mariana Mazzucato.A cerimónia contou com esta convidada de honra em cima do palco mas também com várias caras conhecidas na plateia. João Galamba e Helena Roseta são duas dessas referências.

Mariana Mazzucato começou por apresentar alguns dos pontos que defende no seu livro “O Estado empreendedor” – que apresenta a teoria de que o próprio estado tem de investir na inovação, não se pode ignorar a influência que teve nas mais importantes inovações das últimas décadas -, desfiando a que se recuperasse o “vocabulário de esquerda” que tem vindo a ser substituído pelo “vocabulário de direita”.

ant costa isegO debate que se seguiu teve como ponto central a importância da inovação na economia, tendo como base a discussão sobre o papel que o Estado deve desempenhar neste campo.

O secretário-geral do PS teve a última palavra. Para além de elogios à académica italiana o líder socialista afirmou que está na altura “fazer o que tem de ser feito: criar a ligação necessária entre o tecido empresarial e o investimento feito na investigação”. António Costa acrescentou ainda que “não tem de se cortar no investimento mas sim fazer com que este seja aproveitado”. Antes de finalizar e sublinhando a importância do estado no exercício desta função o ex-presidente da Câmara de Lisboa disse acreditar que é possível “manter valores de sempre com causas novas”.

Aos jornalistas, António Costa garantiu ser possível pôr fim à austeridade remetendo mais detalhes para a apresentação do cenário macroeconómico, que terá lugar esta terça-feira ao meio dia.

Descomplicador

O Partido Socialista organizou esta segunda-feira um debate no ISEG sobre a importância da inovação na actividade económica. Mariana Mazzucato, economista italiana, foi a grande convidada do painel de debate e foi sobre a sua ideia de “ter um estado que é empreendedor” que girou grande parte da discussão seguinte. António Costa encerrou a sessão afirmando que o estado é fundamental para que a inovação tenha o aproveitamento necessário.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *