“Manter valores de sempre com causas novas”

Nesta segunda-feira, António Costa encerrou a sessão “mais inovação, melhor economia” realizada pelo Partido Socialista (PS) no ISEG. Num painel de debate moderado por Manuel Heitor, o principal mote foi lançado pela economista italiana Mariana Mazzucato.A cerimónia contou com esta convidada de honra em cima do palco mas também com várias caras conhecidas na plateia. João Galamba e Helena Roseta são duas dessas referências.

Mariana Mazzucato começou por apresentar alguns dos pontos que defende no seu livro “O Estado empreendedor” – que apresenta a teoria de que o próprio estado tem de investir na inovação, não se pode ignorar a influência que teve nas mais importantes inovações das últimas décadas -, desfiando a que se recuperasse o “vocabulário de esquerda” que tem vindo a ser substituído pelo “vocabulário de direita”.

ant costa isegO debate que se seguiu teve como ponto central a importância da inovação na economia, tendo como base a discussão sobre o papel que o Estado deve desempenhar neste campo.

O secretário-geral do PS teve a última palavra. Para além de elogios à académica italiana o líder socialista afirmou que está na altura “fazer o que tem de ser feito: criar a ligação necessária entre o tecido empresarial e o investimento feito na investigação”. António Costa acrescentou ainda que “não tem de se cortar no investimento mas sim fazer com que este seja aproveitado”. Antes de finalizar e sublinhando a importância do estado no exercício desta função o ex-presidente da Câmara de Lisboa disse acreditar que é possível “manter valores de sempre com causas novas”.

Aos jornalistas, António Costa garantiu ser possível pôr fim à austeridade remetendo mais detalhes para a apresentação do cenário macroeconómico, que terá lugar esta terça-feira ao meio dia.

Descomplicador

O Partido Socialista organizou esta segunda-feira um debate no ISEG sobre a importância da inovação na actividade económica. Mariana Mazzucato, economista italiana, foi a grande convidada do painel de debate e foi sobre a sua ideia de “ter um estado que é empreendedor” que girou grande parte da discussão seguinte. António Costa encerrou a sessão afirmando que o estado é fundamental para que a inovação tenha o aproveitamento necessário.

Publicado por: José Pedro Mozos

22 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Socia e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Foi comentador num programa da rádio da sua faculdade sobre actualidade política; editor de música da ESCS Magazine e escreveu para o site Bola na Rede. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, é jornalista na SIC Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *