Presidenciais 2016: O panorama a 20 de Abril

As eleições presidenciais de 2016 estão a movimentar mais candidatos do que o esperado. De forma a que não existam confusões o Panorama explica-te quais os candidatos que já se anunciaram como tal e aqueles que estão ainda no leque de indecisos. De fora desta listagem ficam apenas aqueles que já se colocaram à margem.

Belém Presidência da Republica

Com candidatura apresentada

Henrique Neto

Militante do Partido Socialista e ex-deputado do PS, o empresário Henrique Neto foi o primeiro a apresentar a sua candidatura à Presidência da República, surpreendendo tudo e todos. António Costa classificou esta candidatura de “indiferente”, e o candidato está a preparar a candidatura sem o apoio de partidos, reunindo-se no entanto em breve com o PSD.

Paulo Morais

O ex-nº2 de Rui Rio na Câmara Municipal do Porto, apresentou a sua candidatura a Belém no norte do país, movendo-se com as suas bandeiras habituais: o combate à corrupção. Ex-militante do PSD, tendo desempenhado funções autárquicas, ultimamente Paulo Morais estava ligado à Associação Integridade e Transparência e é comentador televisivo.

A apresentar em breve

Sampaio da Nóvoa

Sampaio da Nóvoa

O antigo reitor da Universidade de Lisboa já está a trabalhar na sua candidatura depois de tempos de indecisão. A apresentação está marcada para o dia 29 de Abril no Teatro da Trindade e para já o Partido Socialista não faz declarações sobre este avanço. Ainda assim, sem Guterres, Sampaio da Nóvoa é falado como o candidato apoiado pelo Partido Socialista.

Paulo Freitas do Amaral

Primo de Diogo Freitas do Amaral e autarca na freguesia da Cruz Quebrada em Oeiras, Freitas do Amaral tem a apresentação da sua candidatura marcada para 30 de Maio e garante ter já metade das assinaturas garantidas. Ao Panorama, o militante do CDS diz que “o apoio dos partidos é secundário, tendo em conta que o nome que aparece no boletim é o meu”.

Cândido Ferreira

O médico Cândido Ferreira, ex-presidente da distrital de Leiria do Partido Socialista vai apresentar a sua candidatura no dia 25 de Abril em Cantanhede. O médico de 66 anos diz que “tenho um plano de actuação diferente e porque represento interesses da população e não os interesses partidários que, neste momento, estão em conflito com a sociedade”. Cândido Ferreira foi mandatário jovem de Ramalho Eanes e director de campanha de Jorge Sampaio.

Outros candidatos

Como sempre nas eleições presidenciais aparecem um conjunto de candidatos que num tom mais humorístico se apresentam a eleições, sendo que são casos raros os que conseguem mesmo chegar a oficializar a candidatura. Manuel João Vieira, dos Ena Pá 2000, é o caso mais flagrante nos últimos anos. Este ano existe também já esta categoria de convidados. Existem ainda candidatos que pelo seu perfil pouco mediático acabam por não conseguir levar a cabo as suas candidaturas, ficando-se pela intenção de candidatura.

Orlando Cruz

O candidato à Câmara de Matosinhos em 2013, que chegou montado num burro apresenta-se como candidato apoiado pelo Partido Esperança Popular. Orlando Cruz tentou já a candidatura a Belém por duas vezes e diz que em 2016 quer ser o “Rui Moreira das presidenciais”. A sua candidatura foi apresentada a 14 de Abril, mas não há ponto de situação quanto à recolha de assinaturas.

Manuel Almeida Ninja

Manuel Almeida

Alguém se lembra do “ninja” que foi candidato à Câmara Municipal de Gaia? Manuel José Almeida está de volta a pretende candidatar-se à Presidência da República em 2016. Para já o potencial candidato fala em introduzir novamente o estado civil no cartão do cidadão, na legalização do cannabis e na mudança de hora de trabalho dos delegados de propaganda médica.

Em análise

A decidir se avançam ou não encontram-se ainda um conjunto de potenciais candidatos.

Marcelo Rebelo de Sousa

É a grande incógnita das Presidenciais de 2016. O comentador televisivo é o candidato mais desejado pela direita portuguesa, embora possa não o ser pela direcção do PSD. Ainda assim Marcelo Rebelo de Sousa tem andado pelo país em iniciativas partidárias e definiu o seu timing em Outubro, sendo que até lá deve manter a incerteza quando à sua candidatura.

Marcelo Rebelo Sousa

Rui Rio

Se a direita se dividir será entre Rui Rio e Marcelo Rebelo de Sousa. O ex-presidente da Câmara do Porto é apontado a quase todo os cargos em disputa nos próximos tempos e há quem o esteja a pressionar para avançar antes de Marcelo de forma a pressionar o ex-presidente e actual comentador da TVI. Rui Rio não disse nem que sim nem que não, e é assim ainda uma “carta no baralho”.

Carvalho da Silva

O Bloco de Esquerda já disse que pode apoiar um candidato único da esquerda, mas o Partido Comunista ainda não “abriu o leque”. Sendo assim, e estando pronto para dar o passo em frente, Carvalho da Silva, ex-secretário geral da CGTP, a confederação sindical, pode ser o candidato do PCP em 2016.

António Guterres

Segundo a interpretação da imprensa e dos comentador o embaixador da ONU e ex-Primeiro Ministro já se colocou à margem das eleições presidenciais de 2016, em especial depois de uma entrevista dada à Euronews. No entanto, Guterres não disse ainda veementemente que não e até ao apoiado declarado do PS a outro candidato ou à candidatura de Guterres como secretário-geral da ONU, o ex-Primeiro Ministro pode ainda ressurgir.

Descomplicador:

Neste momento existem dois candidatos oficiais e três que se preparam para apresentar as suas candidaturas. Em democracia as eleições com mais candidatos foram em 1980, com sete candidatos. Em 2016, será que esse record poderá ser batido?

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Existem 3 comentários a este artigo
  1. efgga@sapo.pt'
    Elsa Ferreira Gonçalves Gomes de Almeida at 16:17

    Acho de um profundo sectarismo político que mais uma vez neste pobre País não seja dada a mesma oportunidade a todos os candidatos, no que refer às Presidênciais 2016.
    Não é só o Marcelo R. de Sousa nem Rui Rio, nem a Maria de Belém ou Sampaio da Nóvoa que se vão candidatar. O Drº Paulo de Morais também é candidato, e um potencial candidato mesmo. Será por isso que o querem votar ao esquecimento ao não lhe serem dadas as mesmas oportunidades que estão a ser atribuídas aos outros ?????
    Se é essa a vossa intenção, não se esqueçam que as redes sociais hoje em dia têm um poder que transcende a vossa vontade, e que tanto vos pode enterrar a vocês partido do pseudo governo, como tem sido feito, como tudo fará, possivel e impossivel, para que o Drº Paulo de Morais seja o mais divulgado possivel., e saia vencedor destas eleições.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *