Número três do Podemos protagoniza nova crise interna

Em Novembro de 2014, escassos meses após as eleições europeias – as primeiras que o Podemos enfrentou -, o jornal El País apresentava os cinco líderes do partido. A Juan Monedero, o jornal diário referia-se como o possível futuro autarca da capital espanhola, um futuro que também o líder Pablo Iglesias apontava ao professor de Ciência Política.

Juan-Carlos-Monedero_JCV5450No entanto, há poucos dias que se começou a falar de um desconforto por parte de Juan Carlos Monedero, que acabou por resultar na sua demissão da direcção do partido. Foi o próprio que fez despoletar os rumores, numa entrevista concedida à estação de rádio Radiocable em que afirmou que o partido se estaria a assemelhar aos partidos do sistema que quer destronar. Monedero confessou-se, como co-fundador do partido, defraudado com o que considerou ser uma desvirtuação de um partido que teve origem “nas ruas e na reflexão” e acusa agora a direcção  de estar mais interessada em aparecer na televisão, estando as razões que levaram à fundação do Podemos em segundo plano.

Foi na passada Quinta-feira que Monedero oficializou a decisão, numa nota apaziguadora para com o “amigo” Pablo Iglesias, que declarou ver o agora ex-dirigente como “um intelectual que precisa de voar” e que pode não ser “um homem de partidos”. Também a direcção agradeceu a Monedero por todo o trabalho desenvolvido através da sua conta no Twitter, a mais seguida de entre os partidos políticos do país vizinho.

Recorde-se que esta demissão vem abrir as feridas provocadas por cisões internas mais profundas: já eram conhecidas desde o ano passado divergências entre Pablo Iglesias e Pablo Enchenique, eurodeputado eleito pelo Podemos. Enchenique representa a principal corrente interna contrária às ideias de Iglesias, tendo dado voz a ideias como uma estrutura de três porta-vozes no partido ou mais autonomia financeira e política para os círculos regionais. Enchenique chegou a enfrentar Iglesias na eleição da direcção do partido, mas retirou-se da corrida devido a desacordos em relação ao sistema de listas.

Descomplicador:

O Podemos, partido  que teve um sucesso relâmpago aquando do seu surgimento nas eleições europeias do ano passado, enfrenta uma fase difícil, com a demissão de um dos fundadores, Juan Monedero, e as eleições autónomas a acontecer já a 24 de Maio.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *