Varoufakis prefere incumprir com o FMI do que com os salários

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, disse ontem preferir um “incumprimento da Grécia com o FMI do que com os salários”. Esta declaração vem na sequência das dúvidas levantadas sobre a capacidade da Grécia de pagar 1,5 mil milhões de euros ao FMI e mais 1,5 mil milhões de euros em salários no mês de Junho. Varoufakis, apesar de considerar os salários e as pensões “sagrados”, confia que vai ser possível pagar também ao FMI. “ No mês atual não era certo que a Grécia pudesse reembolsar 750 milhões de euros ao FMI”, lembrou.

varoufakisNeste sentido, o ministro das Finanças grego destacou que o acordo com os credores está para breve e deixou o prazo de uma semana como o tempo provável para o alcançar. Em entrevista à cadeia de televisão grega Star, disse que nem está nos planos da Grécia romper com os credores, nem sair do euro.

Yanis Varoufakis aproveitou ainda para criticar a postura dos credores de não levarem nenhuma novidade para a mesa de negociações “ao contrário do que faz a Grécia”.

Varoufakis revelou também uma ideia da Grécia para melhorar a cobrança do IVA: instaurar uma taxa em três pontos percentuais superior à atual aplicada a pagamentos com cartão. Apesar disso, revelou também que ainda há diferenças nas negociações no que diz respeito às modalidades nas mudanças das reformas e do mercado de trabalho.

Descomplicador:

As negociações entre a Grécia e os credores duram há meses. Os credores mantêm-se firmes e o governo grego encontra-se praticamente isolado ideologicamente na zona euro. Ainda assim, até ao momento a Grécia cumpriu com todas as suas obrigações perante o FMI e estas palavras do ministro grego podem servir para ganhar confiança das instâncias internacionais na capacidade de a Grécia pagar a dívida.

 

xusvgz@vomoto.com'
Publicado por: Francisco Mendes

22 anos, natural de Moura, no Alentejo. Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Foi Director de Programas e Director-Geral da ESCS FM em 2011/2012 e 2012/2013 e é actualmente Director de Correcção Linguística da ESCS MAGAZINE

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *