Juventude Socialista quer Governo a pagar atrasos das bolsas com juros

Joao TorresPerante as denúncias do movimento estudantil de atrasos no pagamento de bolsas de estudo, e perante a confirmação de que esta situação se estende a todo o país, a Juventude Socialista veio a público exigir a “rápida actuação” de Nuno Crato que, nas palavras da estrutura, “se mostra sempre demasiadamente pronto a exigir rigor e demasiadamente incapaz na hora de passar das palavras aos actos”.

A JS manifesta assim que “não deixa de ser irónico que este Ministério passe uma legislatura a apregoar o rigor quando, na sua acção diária, seja na colocação de professores, seja no pagamento das bolsas de estudo, se revela totalmente incapaz e incompetente”, afirma João Torres.

Nas palavras do Secretário-geral da Juventude Socialista, João Torres, “é verdadeiramente chocante que alunos carenciados sejam colocados na posição de estarem dois meses sem receber a bolsa a que têm direito” e reforça que “esta é só mais uma situação que reforça a total insensibilidade do Governo”.

A JS considera que o caso é de “gravidade assinalável” e “exige medidas excepcionais, para além de uma clara assunção de responsabilidades políticas por parte do Governo, uma vez que se trata de uma situação recorrente neste ano lectivo”. Nas palavras de João Torres, “exige-se que o Governo não só pague as bolsas ainda nos próximos dias como se exige também que o faça com juros de mora, para além de se exigir que o prazo de pagamento da próxima prestação de propinas dos estudantes afetados possa ser prorrogada em tempo semelhante ao atraso no pagamento das suas bolsas de estudo”.

Recorde-se que, recentemente a Juventude Social Democrata veio pedir uma alteração no Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo, numa temática que parece estar a envolver as duas estruturas juvenis dos dois maiores partidos portugueses.

Descomplicador:

A Juventude Socialista veio a público pedir ao Ministro da Educação, Nuno Crato, que resolva o problema das bolsas de estudo, pedindo ainda que o pagamento atrasado seja feito acrescido de juros de mora, de forma a não penalizar os alunos pelo atraso.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *