Carlos Costa continua à frente do Banco de Portugal

Carlos CostaO actual governador do Banco de Portugal, Carlos Costa vai ao que tudo indica continuar à frente da estrutura que rege a banca nacional. O Conselho de Ministros anunciou já o nome do actual governador e o líder do Partido Socialista, António Costa foi já informado por Passos Coelho da continuidade de Carlos Costa.

Marques Guedes, que falou após o Conselho de Ministros, reconheceu que “há algumas conclusões da Comissão Parlamentar de Inquérito ao BES menos agradáveis para o actual governador, mas que a mesma comissão reconhece que foram evitadas situações mais graves para os contribuintes”, justificando assim a continuidade do actual governador à frente da estrutura.

O processo será agora enviado para a Assembleia da República, que obrigatoriamente tem que ouvir Carlos Costa antes de o oficializar à frente de um novo mandato. O actual mandato expira a 7 de Junho, depois de na primeira vez ter sido nomeado por um Governo liderado pelo Partido Socialista.

António Costa foi já informado desta decisão através de um telefonema de Pedro Passos Coelho esta manhã. O Partido Socialista reconhece algum “incómodo” com a situação, tendo em conta que gostaria de ter tido um papel mais activo na continuidade de Carlos Costa, nomeadamente gostando de debater alguns pormenores e até de analisar outros nomes para o cargo.

O Partido Socialista não colocou em causa a legitimidade de Passos Coelho para nomear Carlos Costa para um novo mandato, mas gostaria de ter tido um papel mais preponderante na escolha do governador. Nuno Morais SarmentoPedro Nuno Santos reagiu durante a tarde em nome do PS e afirmou que esta é uma escolha “muito partidarizada, tendo em conta que foi uma decisão pessoal do Primeiro-Ministro, até contra alguns elementos do Governo”, defendendo um processo de escolha muito mais alargado. Falava-se que Maria Luis Albuquerque não queria a continuidade de Carlos Costa, mas essa informação nunca foi confirmada.

Esta escolha recolheu criticas também dentro do PSD, onde Nuno Morais Sarmento disse à Antena 1 que “medalhas dão-se no 10 de Junho”, em referência ao facto de este ser um prémio pelo esforço do governador na resolução do caso BES.

Descomplicador:

O Conselho de Ministros deu já conta da continuidade de Carlos Costa à frente do Banco de Portugal. O governador parte assim para um segundo mandato, tendo de ser ouvido primeiro pela Assembleia da República, e sob um coro de criticas da oposição que defendia um processo de escolha mais alargado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *