Pedro Reis lidera grupo informal de economistas do PSD

Pedro Reis AICEPOra portanto: se o PS tem economistas a definir a estratégia económica e financeira do programa eleitoral, também o PSD chamou um grupo de 20 economistas para dar apoio ao desenvolvimento das orientações das políticas monetárias de Passos Coelho.

Em vez de Mário Centeno – o chefe de equipa dos economistas do PS -, é o ex-presidente da AICEP, Pedro Reis, a coordenar o grupo responsável a par do ex-presidente do IGCP e atual assessor da Comissão Executiva do Millennium BCP, João Moreira Rato, e o secretário de Estados das Finanças, Manuel Rodrigues.

Depois de o PS ter divulgado as ideias dos seus economistas conselheiros – assim como o programa eleitoral com propostas polémicas como a da TSU -, o PSD acelerou também a conclusão do programa eleitoral que quer apresentar para as legislativas de setembro ou outubro. Com a coligação PSD-CDS já firmada e apresentada (foi no fim de semana do 25 de abril), o Partido Social Democrata quer apressar o processo que será liderado pelo Gabinete de Estudos Nacional do partido a menos de meio ano das eleições.

O semanário Expresso avança que o grupo é “informal e não reconhecido pelo PSD”, apesar de a coordenação do grupo ser feita por personalidades políticas próximas de Pedro Passos Coelho. Tão anónimos do partido que até só se sabe o nome de doze economistas, sendo que três pediram anonimato, de acordo com o Jornal de Negócios:

Pedro Portugal, uma das referências da economia no estudo do mercado de trabalho e quadro do Banco de Portugal;

Eduardo Cardadeiro, especialista em regulação económica e economia industrial, ex-administrador da ANACOM, administrador não-executivo do Banco de Fomento e reitor da Universidade Autónoma de Lisboa;

Jorge Bravo, especialista em sistema de pensões e professor na Universidade Nova de Lisboa;

José Brandão de Brito, economista chefe do Millennium BCP, e ex-economista do Banco de Portugal;

Cátia Baptista, especializada em estudo das migrações, empreendedorismo, e professor da Universidade Nova de Lisboa;

João Valle e Azevedo, quadro do Banco de Portugal e professor da Universidade Católica;

Inês Domingos, professor de economia também da Universidade Católica e colaboradora do Núcleo de Estudos sobre a Conjuntura da Economia Portuguesa (NECEP);

Stefan Morais, administrador executiva da Caixa Capital, especialista em investimento de private equity;

Francisco Veloso, reitor da Católica Lisbon, a escola de Gestão da Universidade Católica, dedica-se à evolução das empresas e regiões, e à incorporação de tecnologias no crescimento económico.

Descomplicador:

O Partido Social Democrata recorreu a um grupo informal de economistas para construir a vertente ecónomica do seu programa eleitoral. Pedro Reis, ex-presidente da AICEP é o líder, mas João Moreira Rato é também um dos nomes fortes deste grupo.

xmlxpo@grandmamail.com'
Publicado por: Tiago Varzim

Nasceu na Póvoa de Varzim mas fez toda a sua vida em Barcelos. Agora é em Lisboa que dá os primeiros passos no jornalismo. Estudante de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Colabora com vários sites, entre eles o Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *