Bloco de Esquerda cada vez mais distante do PS

De há muito tempo para cá que é notório o afastamento entre o Bloco de Esquerda e o Partido Socialista. O partido bloquista tem manifestado o seu desencanto para com as propostas socialistas, criticando particularmente António Costa, secretário-geral do PS. Desta feita, Catarina Martins lançou duras críticas ao ex-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, classificando as recentes declarações de Costa, a propósito de um eventual Governo de gestão, como sendo uma “fantasia aberrante”.

Durante uma visita ao Festival Islâmico de Mértola, distrito de Beja, Catarina Martins expressou a sua total oposição perante uma possível governação de gestão, após as Legislativas, caso não haja uma maioria absoluta. A dirigente do Bloco de Esquerda considerou que este ponto de vista de António Costa, defendido pelo próprio em entrevista ao Observador, “é uma tentativa desesperada de apelar ao voto útil”.

Catarina Martins afirmou que “quem vai a eleições tem é de apresentar projectos, de mobilizar, e não lançar medo ou possibilidades aberrantes, porque essas não ajudam ao debate”, aproveitando para lançar mais uma farpa ao candidato socialista a São Bento ao referir que lhe “parece bastante desesperado dizer algo que não tem nenhum sentido para tentar forçar algum tipo de voto útil”.

costaAntónio Costa reclamou, em entrevista ao Observador, uma maioria absoluta para o seu partido nas Eleições Legislativas, para logo de seguida afirmar que o Presidente da República manterá o seu Governo em gestão até Abril de 2016, caso o PS não atinja a maioria absoluta.

Ora, assistiu-se assim a mais um episódio de discordância do Bloco de Esquerda face a declarações ou propostas do PS, estando por norma António Costa na mira do fogo cruzado do Bloco. Há cerca de meio ano atrás, aquando da última Convenção do Bloco de Esquerda, João Semedo acusou o PS de colagem ao PSD, por ocasião do regresso das subvenções vitalícias. O então coordenador do Bloco de Esquerda manifestou a sua decepção perante um António Costa que ainda vivia os seus primeiros tempos enquanto secretário-geral do PS, ao dizer que “se já é assim ao final de um mês, que surpresa nos trará um Governo de António Costa?”. Porém, e como declaração mais forte nessa convenção, ficou a garantia de que o “Bloco de Esquerda não seria o CDS do PS de António Costa”.

Descomplicador:

O Bloco de Esquerda tem-se mostrado quase sempre em desacordo com o PS. Com o aproximar das eleições legislativas, António Costa parece incapaz de criar pontes de entendimento com o Bloco de Esquerda, tornando assim ainda mais nítida esta clivagem à esquerda.

xlhvve@grandmasmail.com'
Publicado por: João Rodrigues

26 anos, natural das Caldas da Raínha. Finalista de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Foi coordenador de Desporto na ESCS FM no ano 2013/2014, mantendo actualmente um programa na grelha da rádio. É ainda repórter na JVG TV e sou redactor do site desportivo "Bola na Rede".

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *