Diretora do FMI fica de fora da Conferência de Bilderberg

Já se sabe quem é a lista de convidados do encontro que junta as pessoas mais poderosas do Mundo: a conferência de Bilderberg. A grande surpresa é a ausência de Christine Lagarde, diretora do FMI, mas não é a única: também Bob Dudley, director executivo da petrolífera BP, e Anders Fogh Rasmussen, ex-secretário-geral da NATO ficaram de fora da lista deste ano.

A conferência, que este ano irá decorrer em Copenhaga, reúne algumas personalidades já habituais como são os casos de Eric Schmidt (director da Google), George Osborne (chanceler do tesouro britânico) ou Henry Kissinger (ex-secretário de estado norte-americano).

Este ano, Portugal conta com 3 representantes: Francisco Pinto Balsemão, diretor do grupo Impresa e presença habitual, António Vitorino, membro do Partido Socialista e líder do think tank Notre Europe, e Durão Barroso, ex-primeiro ministro e ex-presidente da Comissão Europeia.

lagardeA conferência de Bilderberg acontece anualmente e nela são discutidas as grandes tendências e questões mundiais. A lista de convidados normalmente não excede os 150 elementos e junta alguns dos mais poderosos rostos mundiais dos media, da política, da economia, do mundo académico e do mundo empresarial. Apesar de os elementos da conferência, conhecidos como o Grupo de Bilderberg, poderem usar as informações discutidas, não podem revelar a identidade ou afiliação de quem as deu. Nada é aprovado ou votado. Nestas reuniões apenas são discutidos pontos de vista e tendências, sendo que no final não é feita nenhuma declaração pública sobre os assuntos debatidos.

O cariz sigiloso destes encontros fez nascer algumas teorias da conspiração. A essas críticas, a organização responde dizendo que o sigilo existe para que os participantes não sintam qualquer limitação em relação a uma possível deturpação daquilo que é dito. A teoria mais conhecida é aquela que diz que quem governa verdadeiramente o Mundo é o Grupo de Bilderberg e que, por exemplo, a crise mundial dos últimos anos foi planeada por este mesmo grupo.

Descomplicador:

A ausência de Christine Lagarde causou estranheza e tem tido um amplo destaque nos meios de comunicação social ocidentais, uma vez que era de esperar que, em altura de crise,  a directora do FMI estivesse presente no fórum à escala mundial onde estão os mais poderosos.

xusvgz@vomoto.com'
Publicado por: Francisco Mendes

22 anos, natural de Moura, no Alentejo. Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Foi Director de Programas e Director-Geral da ESCS FM em 2011/2012 e 2012/2013 e é actualmente Director de Correcção Linguística da ESCS MAGAZINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *