No caminho certo

António CostaConfesso que fiquei muito admirado quando vi o Dr. António Costa dizer que é preciso mais investimento público. Eu já o devia conhecer melhor mas a verdade é que fiquei mesmo espantado! Todos sabemos que é preciso mais investimento, mas não tem de ser público.

No PSD, sabemos que são as empresas e os empresários que criam riqueza e postos de trabalho. Até sabemos mais: para o Estado poder redistribuir a riqueza, ela primeiro tem de ser criada. E ela está a ser criada! E, mais do que a saída da Troika, é isso que temos a agradecer a este Governo.

Em Portugal temos o desemprego a baixar, a economia a crescer, o investimento a crescer como não se via há quase 20 anos, um défice abaixo de 3% e podemos dizer que o país melhorou no ranking da competitividade. Aquilo que para Portugal são bons resultados, para o PS são maus resultados. Resultados contra os desejos do PS, contra as previsões do PS.

Portugal está melhor. Aliás, até António Costa o veio garantir aos chineses. E está melhor porque este Governo foi corajoso. Não tivemos nenhuma mão invisível do mercado a reequilibrar o país. Tivemos, isso sim, as mãos bem visíveis – e limpas – deste Primeiro-Ministro na condução de um governo corajoso e reformista.

Pedro Passos CoelhoVejamos algumas das coisas que foram feitas em termos de redução de despesa: fusão de institutos; extinção dos governos civis (ainda alguém se lembra deles?); poupança nos Ministérios; redução das margens de lucro das farmacêuticas e farmácias; redução da dívida a fornecedores; renegociação das ruinosas PPP na Saúde e nos transportes; redução de custos em estudos e pareceres; e a privatização dos Estaleiros de Viana do Castelo que pela primeira vez em décadas, passaram a dar lucro. Mais, já readmitiram em poucos meses quase todos os trabalhadores dispensados.

Isto é social-democracia: dar à sociedade civil aquilo que a sociedade civil está vocacionada para fazer. E permitam dizê-lo: há muita coisa que a sociedade civil faz melhor que o Estado.

Hoje Portugal é um país onde não há “Donos Disto Tudo” e isso, meus amigos, isso é um grande legado. Hoje Portugal é um país que está em condições de se libertar do jugo do passado, do penoso peso dívida e de construir um futuro de liberdade e bem-estar.

Um futuro onde possamos ver os portugueses mais felizes, com melhores empregos e salários. Um futuro onde possamos ver crescer empresas de sucesso, empresas exportadoras, e ver empresários criar muitos e bons postos de trabalho.

Todos sabemos que este não é o futuro mais imediato mas sabemos que está ao nosso alcance se mantivermos “Portugal no Caminho Certo”.

Presidente da Juventude Social Democrata. Deputado do PSD. Estudante de Direito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *