Durante uma semana todos quiseram saber de agricultura

Feira da AgriculturaPresidente da República, Primeiro-Ministro, Vice Primeiro-Ministro, Ministros, Ministras, Secretários de Estado, líderes da oposição, deputados, candidatos a Presidente da Republica e até hipotéticos futuros candidatos a Presidente da Republica. De 6 a 14 de Junho os grandes protagonistas políticos portugueses passaram quase todos pela Feira Nacional de Agricultura/Feira do Ribatejo, que se realiza anualmente no CNEMA em Santarém.

Este ano a Feira da Agricultura recebeu perto de 180 mil visitantes, menos 20 mil face ao ano de 2014, recebendo ao longo destes dias, para além dos protagonistas políticos, de gentes ligadas ao meio, dos comuns visitantes também os The Gift, Tiago Bettencourt, David Antunes e o popular cantor Anselmo Ralph. Segundo Luis Mira, secretário geral da Confederação dos Agricultores de Portugal, esta foi a terceira maior feira de sempre no que toca ao número de visitantes, sendo a maior no que toca a espaço ocupado, superando os 150 mil metros quadrados.

A abertura do certamente esteve a cargo do Presidente da Republica, Aníbal Cavaco Silva que se fez acompanhar da Primeira Dama e da Ministra da Agricultura, Assunção Cristas. Cavaco Silva mostrou-se agradado com o “dinamismo do sector”, mostrando-se agradado com o “aumento da produção agrícola e agroalimentar, melhoria da qualidade e inovação no sector”. O Presidente da Republica manifestou-se ainda agradado com o facto de terem dado “um forte destaque ao sector da floresta”, falando na iniciativa que organizou para “sublinhar a importância da floresta nos domínios social, ambiental, económico, chamando a atenção para a fileiras do sobreiro, do pinheiro e do eucalipto” e destacando ainda o facto de os portugueses estarem cada vez mais a consumir produtos nacionais, reconhecendo a “melhor relação qualidade/preço”.

Já o Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho escolheu o dia com entradas gratuitas para visitas a Feira do Ribatejo. Passos Coelho  ouviu até mais palavras de incentivo do que aquelas que esperaria num dia em que se esperava muito público. Nos pavilhões dedicados aos diversos expositores, o também líder do PSD disse que “este é um bom exemplo do que esperamos do país também nas outras áreas da economia”, dizendo ainda em jeito de brincadeira que “como pudemos ver, nós não temos agricultores velhos, cansados, sem imaginação, pelo contrário, temos aqui o tecido empresarial com muita vitalidade, com muita ambição, com inovação, no emprego que vem gerando vem diferenciando e qualificando cada vez mais, e isso são boas notícias para a agricultura portuguesa”. Passos Coelho esteve também acompanhado da Ministra da Agricultura.

Portas deu jantar de 20 mil euros em Santarém

Paulo PortasPara o Vice Primeiro-Ministro, Paulo Portas, a visita não ficará recordada pelos melhores motivos. O líder do CDS, parceiro de Governo e de coligação do PSD veio a Santarém anunciar que Portugal tinha atingido a taxa de 100% de execução do PRODER, os fundos comunitários destinados à agricultura e para festejar ofereceu um jantar para 300 convidados que custou 20 mil euros aos cofres do estado.

O jantar foi manchete do Correio da Manhã, num dia que Portas desejaria que fosse recordado certamente por outros motivos. No que toca ao PRODER, nesse jantar, Paulo Portas anunciou que “este é efectivamente um dia que faz história na política agrícola em Portugal, que significa 4.700 milhões de euros para o investimento na agricultura”. Segundo Paulo Portas este investimento possibilitou a criação de 45 mil postos de trabalho, para além dos 20% de exportações. Portas recordou ainda que em 2011 a taxa de execução do PRODER era de 30%, destacando o trabalho realizado nos últimos quatro anos.

Assunção Cristas, Ministra da Agricultura, esteve presente em diversos dias da Feira Nacional de Agricultura/Feira do Ribatejo, mas logo na inauguração anunciou “duas muito boas notícias que provam o dinamismo do sector: o aumento pela primeira vez do número de candidaturas aos fundos da agricultura e a duplicação da área agrícola em modo de produção biológica”. Assunção Cristas anunciou ainda que “o objectivo lançado ao sector de conseguir eliminar até 2020 o défice da balança alimentar, está ao alcance do país e vai ser cumprido, graças ao trabalho dos agricultores”.

Afecto ao CDS esteve também o Ministro da Economia, António Pires de Lima que destacou a importância da agricultura e da agroindústria no aumento das exportações e fazendo questão de afirmar que “em matéria de agricultura e agroindústria não sou “um cristão-novo”, pois trabalho no sector há mais de 20 anos”. O Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro destacou também o facto de a agricultura ser “necessariamente um pilar da recuperação económica que o país iniciou e que a competitividade do país faz-se apostando naquilo que são os nossos recursos”. O Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, também esteve presente no certame.

António Costa quer auto-suficiência alimentar em oito anos

António CostaO líder do Partido Socialista disse em visita ao certamente que o seu objectivo é “em duas legislaturas, atingirmos a auto-suficiência alimentar”, acreditando ser “possível desde que articulemos três dimensões: a grande agricultura competitiva, para a qual é necessário acelerar a execução dos fundos comunitários e investir no programa de regadio para melhorar a sua capacidade exportadora; a pequena agricultura, que é muito importante para a fixação e criação de valores nos territórios de baixa densidade; e ainda o enorme potencial da floresta portuguesa que ainda está muito explorar”.

António Costa visitou a Feira da Agricultura horas depois de Pires de Lima que tinha dito que os agricultores “dispensam políticos tristes”, respondendo assim o Secretário-Geral do PS que “não há motivo para tristeza na agricultura. Há motivo para verificar que o trabalho de vários anos a semear, permite colher bons resultados de investimento na agricultura”.

O Partido Comunista Português foi o único que não marcou presença através do seu líder. Na feira esteve uma delegação de Santarém, que entre outros era composta pelo deputado António Filipe e João Ramos. Já o Bloco de Esquerda marcou presença através de Catarina Martins e da também deputada Helena Pinto. Catarina Martins pediu mais justiça na distribuição dos fundos comunitários, denunciando que “temos os apoios europeus a serem distribuídos sempre pelos mesmos grandes produtores e muitos entraves à organização dos pequenos produtores e à capacidade dos pequenos produtores receberem esses apoios”. A cara do Bloco de Esquerda falou ainda da grande distribuição, que tem “uma política de relacionamento com a agricultura, para com os produtores, que esmaga os preços e esmaga a possibilidade da produção agrícola no nosso país”, pedindo mais regulação neste aspecto.

Marcelo Rebelo de Sousa em visita informal e Henrique Neto em visita oficial

Marcelo Rebelo SousaSem cargos oficiais, estiveram também presentes na Feira da Agricultura o comentador e professor universitários Marcelo Rebelo de Sousa que disse estar em visita informal, onde se cruzou com a comitiva do PCP, visto que “há três anos que sou responsável de uma fundação que tem 22 mil hectares de terrenos (a Fundação Casa de Bragança) e, portanto, há três anos que me dedico a trabalhos agrícolas e silvícolas”, dizendo estar a “jogar em casa” e reafirmando que  “não tenho nenhum outro intuito que não seja contactar com um sector que conheço bem e que tenho de conhecer ainda melhor”. Marcelo Rebelo de Sousa foi dos visitantes mais populares desta Feira do Ribatejo 2015.

Já o candidato Henrique Neto esteve presente praticamente todo o dia no certame com um staff de campanha que apareceu pelas primeiras vezes em público. Francisco Mendes, exa-candidato à Câmara de Santarém é um dos responsáveis pela direcção nacional de campanha, mas Henrique Neto esteve também acompanhado de um fotógrafo e de um assessor de imprensa. O ex-deputado do PS fez questão de esclarecer que “não foram as minhas criticas que colocaram o PS na situação em que está”, em resposta a uma questão que tem levantado polémica nos últimos dias.

Descomplicador:

A Feira Nacional da Agricultura foi assim palco de inúmeras declarações politicas ao longo da última semana, onde para além dos principais lideres governamentais e partidários passaram ainda inúmeros Secretários de Estado, deputados, autarcas e empresários ligados, ou não, ao sector agrícola.

Fotos: Vitor Neno/Feira Nacional da Agricultura-Feira do Ribatejo/CNEMA
Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *