Marine Le Pen lidera novo grupo parlamentar europeu

Marine Le PenA líder da Frente Nacional, Marine Le Pen vai liderar um novo grupo parlamentar europeu, que será o segundo grupo europeu a lutar contra a imigração e contra a total integração europeia. Depois de Nigel Farage, do UKIP, um partido inglês, agora é a controversa líder francesa a liderar um grupo parlamentar eurófobo.

O novo grupo parlamentar terá a designação de Europa das Nações e das Liberdades e foi formado tendo como base as mais de duas dezenas de deputados eleitos pela Frente Nacional. Ainda assim e para criar um grupo parlamentar europeu são necessários 25 deputados de sete nacionalidades diferentes.

Este novo grupo europeu conta assim para além dos deputados da Frente Nacional com os deputados eleitos pelo Partido para a Liberdade holandês (PVV), do Partido da Liberdade austríaco (FPÖ), da Liga Norte Italiana e do Vlaams Belang Flamengo (Bélgica), com os quais a Frente Nacional já trabalhou, mas também com outros cuja nacionalidade será conhecida hoje.

Marine Le Pen tinha já garantido o número mínimo de deputados, mas faltava-lhe cumprir a quota mínima de nacionalidades envolvidas neste movimento que possibilitou a criação deste novo grupo parlamentar apresentado hoje em Bruxelas. A criação de um novo grupo parlamentar abre assim as portas às lideranças de comissões e subcomissões parlamentares, para além da entrada de milhões de euros em apoios e subsídios.

A líder da Frente Nacional tinha procurado criar este grupo parlamentar aquando das eleições europeias, mas após terem fracassado as negociações iniciais só agora foi possível a sua constituição. Recorde-se que nesta linha ideológica, Nigel Farage recuperou recentemente o grupo da Europa da Liberdade e da Democracia, que tinha sido interrompido devido à falta dos requisitos mínimos.

Descomplicador:

Marine Le Pen apresenta hoje em Bruxelas um novo grupo parlamentar europeu, anti-imigração e eurófobo, constituindo assim o segundo grupo desta linha ideológica no Parlamento Europeu. Este era um desejo antigo de Le Pen, desde as eleições que decorreram o ano passado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *