Grécia: Depois de Putin, Juncker

O Primeiro-Ministro grego, Alexis Tsipras, voltou de Moscovo, onde esteve esta sexta-feira, com um acordo em mãos: 2000 milhões de euros para a extensão do gasoduto russo na Grécia. O acordo tem como objectivo o prolongamento do gasoduto TurkStream, entre Rússia e Turquia, até ao país helénico. O financiamento deste projecto ficará a cargo de Moscovo.

MOSCOW, RUSSIA. APRIL 8, 2015. Greece's prime minister Alexis Tsipras and Russia's president Vladimir Putin attend a press conference following their meeting at Moscow's Kremlin. Mikhail Metzel/TASS  PHOTOGRAPH BY TASS / Barcroft Media  UK Office, London. T +44 845 370 2233 W www.barcroftmedia.com  USA Office, New York City. T +1 212 796 2458 W www.barcroftusa.com  Indian Office, Delhi. T +91 11 4053 2429 W www.barcroftindia.com

Vladimir Putin esteve reunido durante cerca de hora e meia com Alexis Tsipras. No fim da reunião, ambos os líderes mostraram-se satisfeitos com o acordo alcançado: do lado grego, existe a esperança de que se abram alas para “vastas possibilidades de cooperação”; do lado russo, o chefe de estado saiu agradado com o reforço “da iniciativa grega” nas relações entre os dois países e mostrou-se solidário para com a actual situação da Grécia, afirmando que tem conhecimento “da situação difícil em que estão e em que o povo [grego] se encontra”.

Este acordo não caiu bem em Bruxelas. Depois de mais um insucesso nas reuniões de quinta-feira entre credores e gregos, as relações estão cada vez mais tensas e este pacto assinado por Putin e Tsipras não foi bem visto pelo eurogrupo.

O tempo para que se alcance um acordo está a estreitar-se e recaem muitas expectativas sobre a próxima semana de negociações. Foi marcada para a próxima segunda-feira uma cimeira da zona euro extraordinária para discutir e debater o impasse em que se encontram  neste momento as negociações.

Para que o ambiente em que as negociações vão decorrer na próxima segunda-feira seja favorável a um entendimento, Juncker deverá falar hoje por telefone com Alexis Tsipras. A confirmação foi avançada pelo ministro grego para a coordenação governamental, Alekos Flabouraris, que em entrevista ao canal televisivo grego Mega adiantou que apesar de nenhum telefonema estar ainda marcado “algum tipo de comunicação será tentado (da parte de Jean-Claude Junker) ao final do dia”.

Se nenhum acordo for alcançado o Grexit – saída da Grécia do euro – é uma possibilidade que não se deve ignorar. É que o programa de assistência financeira expira dia 30 de Junho e se o entendimento entre os gregos e os credores não for conseguido até então, a saída torna-se num cenário mais provável, embora Flabouraris tenha confirmado que caso o impasse não seja resolvido o primeiro passo a tomar será um referendo ao povo grego sobre uma eventual saída do euro.

Recorde-se que o impasse negocial que se vive neste momento nas negociações se prende sobretudo com duas questões:  a reestruturação da divida grega e a flexibilização fiscal.

Descomplicador:

Depois de Alexis Tsipras ter voltado de Moscovo com um acordo favorável ao povo helénico, Jean-Claude Juncker deverá tentar hoje falar com o primeiro-ministro grego por telefone para que as negociações da próxima semana entre a Grécia e os credores decorram nas melhores condições possíveis. As reuniões da próxima semana serão determinantes pois o prazo está a chegar ao fim.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *