LIVRE/Tempo de Avançar inova: presidenciais decididas pelos subscritores

A plataforma LIVRE/Tempo de Avançar continua a inovar nos seus procedimentos internos. Desta vez, a novidade diz respeito ao apoio a um candidato presidencial, que, seguindo o mesmo espírito de abertura que tem regido outros processos da plataforma, fica a cargo dos subscritores.

Rui TavaresNuma mensagem enviada a todos os subscritores, a organização deixa claro que não só a decisão de apoiar ou não um candidato, mas também qual o candidato a apoiar se assim for decidido, está em jogo. A votação terá lugar por meios eletrónicos durante o dia 26 de junho, sendo que os subscritores terão de responder a duas perguntas: se o LIVRE/Tempo de Avançar deve apoiar um candidato presidencial, e qual será o candidato a apoiar.

Recordando na mensagem que esta é uma iniciativa “inédita na vida partidária e democrática portuguesa”, o LIVRE/Tempo de Avançar volta assim a inovar na forma como conduz a sua estrutura e vida interna. A plataforma tinha-se distinguido já por alturas das Eleições Europeias, as primeiras em que participou, com as eleições primárias abertas (em que todos os eleitores, mesmo os não militantes, podem candidatar-se) em que elegeu os seus candidatos a assentos no Parlamento Europeu. Decorre presentemente o processo de eleições primárias do partido, com o objetivo de eleger os candidatos à Assembleia da República. O resultado do processo será divulgado na quarta-feira, dia 24 de junho, e elegem-se hoje em mesas de voto espalhadas por todo o país os candidatos, de entre um total de 385,  dos 22 círculos eleitorais.

Em entrevista ao Panorama, em março deste ano, Rui Tavares dizia que uma das grandes vantagens do LIVRE é ser um “partido que transmite uma ideia de genuinidade naquilo que faz e que não diz aquilo de que se está à espera no debate político”, apesar da ainda curta existência. Na mesma entrevista, o fundador defendeu que o LIVRE consegue assim receber produtos da sabedoria coletiva”, que tem “perceção dos problemas reais”.

Descomplicador:

Na senda de outras decisões inovadoras para a vida política e partidária portuguesa, o LIVRE/Tempo de Avançar deixa agora ao critério dos seus subscritores de apoiar ou não um candidato presidencial, assim como, em caso de aprovação, a escolha do candidato.

 

 

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *