Donald Trump vs imigração: as consequências

Donald Trump surpreendeu ao afirmar abertamente, no anúncio da sua candidatura às primárias republicanas, que “quando o México envia suas pessoas, não manda os melhores, mas cidadãos com muitos problemas. Estão a enviar drogas, crimes. São violadores”. Trump não ficou por aqui e defendeu ainda a construção de um muro na fronteira sul dos Estados Unidos, para diminuir a imigração, sugerindo que o México pagasse pela obra.

DONALD-TRUMPAs reações não tardaram a surgir: a cadeia televisiva norteamericana NBC anunciou rapidamente que irá terminar o seu vínculo com o multimilionário, terminando assim a transmissão dos concursos Miss USA e Miss Universo, que faziam parte desse contrato. Também a sua participação no programa The Apprentice como apresentador será dada por concluída.

Trump respondeu ao anúncio da NBC de forma a reforçar as polémicas opiniões que expressara: classificando a cadeia televisiva, que ameaçou com um processo judicial, como “fraca” e “tonta”.

Por outro lado, também a cadeia de língua castelhana Univision cancelou os seus vínculos a Trump após os comentários sobre a imigração mexicana. Neste caso, Trump acusou o governo mexicano de ser responsável por pressões que terão dado origem à decisão, afirmando não aceitar pedidos de desculpas da Univision, numa nova ameaça de recorrer aos tribunais.

Apesar de toda a polémica originada, Donald Trump decidiu ainda conceder uma entrevista ao apresentador Bill O’Reilly, na qual reiterou as suas afirmações. Trump voltou a afirmar a total veracidade das declarações sobre a imigração mexicana, dizendo que a fronteira é “um desastre” e que os mexicanos estão a tirar aos EUA “o trabalho, a manufaturação e o dinheiro”. Segundo o candidato, estes aspetos demonstram que o país vizinho conta com “representantes e líderes mais espertos do que os nossos”. Quanto à NBC, Donald Trump afirmou que tem “a mesma retórica há anos” e que o conflito se deve a, por ser candidato, provavelmente não estar presente na próxima temporada do programa The Apprentice.

Para mais, o México decidiu também que não enviará mais concorrentes a concursos de beleza promovidos por Trump, sabotando assim os programas Miss USA e Miss Universo já comprometidos pelas decisões da NBC e da Univision. Outras companhias mexicanas como a Televisa ou a Ora TV decidiram já seguir esses exemplos e cortar relações com o republicano.

Descomplicador:

Donald Trump vê-se em maus lençóis em vários dos seus negócios após ter proferido declarações xenófobas contra os imigrantes ilegais mexicanos, que classificou como “violadores” e criminosos.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *