Grexit: Alemanha e França em lados opostos

As negociações para se alcançar um acordo no que à situação da Grécia diz respeito continuaram este Domingo. Da parte da manhã, o Eurogrupo esteve reunido para discutir diferentes propostas para solucionar o impasse que se tem vivido nos últimos meses e acabou por passar a tomada de decisão para os líderes da zona euro, que se encontram reunidos neste momento.

Os 19 países que pertencem ao euro estão a discutir qual a melhor solução. Mas o consenso parece difícil de ser alcançado. François Hollande, à entrada para a cimeira, rejeitou qualquer cenário que colocasse a Grécia fora do euro, ainda que temporariamente. Para o Presidente francês aquilo que está em discussão é a saída ou permanência do país helénico como membro da zona euro. O líder socialista disse ainda que tudo fará para evitar que o Grexit seja uma realidade.

Angela Merkel tem uma posição diferente do seu homólogo francês. Para a chanceler alemã a confiança foi quebrada e o acordo não será alcançado a “qualquer preço”. Prova disso mesmo é a proposta que Schäuble, ministro das finanças alemão, fez chegar aos gregos: ou aceitam as medidas de austeridade sugeridas pelos credores na totalidade ou a Grécia sai temporariamente do euro – um período de cinco anos, concretamente.

O ministro das finanças finlandês, Alexander Stubb, concorda com esta ideia do governo alemão e acrescenta mesmo que as medidas devem ser aprovadas até à próxima quarta-feira, dia 15. Stubb esteve na reunião do Eurogrupo e deixou assim transparecer qual o ponto da situação que estará a ser discutido na reunião dos 19 líderes da zona euro.

Martin Schulz foi o primeiro participante desta reunião a falar à comunicação social. Depois de se ter dirigido aos 19 líderes da zona euro, o presidente do Parlamento Europeu retirou-se da reunião e respondeu, em conferência de imprensa, às questões colocadas pelos jornalistas. No seu discurso salientou que esta não é uma “altura para divisões”. Schulz confirmou ainda a existência de uma proposta que visa a saída da Grécia do euro de forma temporária – o que permitiria reestruturar a sua dívida -, mas ressalvou a urgência de se chegar a um acordo rapidamente.

Os líderes da zona euro encontram-se reunidos há mais de uma hora e o ainda não há entendimento. Medidas como a privatização da ADMIE, empresa de distribuição de electricidade pública, assim como de outros activos do estado são algumas das medidas que Tsipras terá de tomar para que se consiga alcançar um acordo. A Europa está em suspenso quanto às conclusões desta reunião.

 Descomplicador:

Hoje é um dia decisivo para a Europa. O futuro da Grécia está a ser discutido neste momento pelos líderes dos 19 países da zona euro, depois de na manhã deste Domingo o Eurogrupo se ter reunido para debater qual a melhor solução. O Grexit (saída da Grécia do euro) temporário é uma das propostas que está a ser discutida e analisada.
Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *