Justiça brasileira abre inquérito contra Lula da Silva

O ex-presidente da República do Brasil Lula da Silva está a ser investigado por suspeita de tráfico de influências. A justiça brasileira abriu um inquérito por alegadas operações para facilitar os investimentos por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) na construtora Odebrecht na América Latina e em África, nomeadamente em Angola, Cuba, Venezuela, República Dominicana e Gana. A construtora terá posteriormente recebido mais de 1.400 milhões de euros do BNDES. O ex-presidente terá utilizado o Instituto Lula, fundado em 2011, paraLEVAR a cabo as operações de tráfico de influências pelas quais é agora acusado.

Lula da SilvaA Odebrecht terá pago viagens a Lula quando este já não exercia o cargo e agora a procuradoria está a investigar se Lula realizou, durante estas viagens, palestras e se as mesmas foram pagas.

A apuração preliminar sobre “supostas vantagens económicas” ligadas ao ex-chefe de Estado decorria já desde maio, altura em que a revista Época lançou as acusações. Agora, a Procuradoria entende ter indícios suficientes para investigar o ex-presidente. Para além de ter aberto o inquérito, a Procuradoria pede ainda que sejam partilhadas provas da Operação Java Lato, à qual a Odebrecht também está ligada, para facilitar a investigação do caso e estabelecer ligações.

No âmbito da Operação Java Lato, que é considerada pela polícia federal brasileira a maior investigação no âmbito da corrupção da história do Brasil e que em 2014 originou mais de uma centena de buscas e apreensões, a Odebrecht terá feito negócios de origem duvidosa com a petrolífera Petrobras. A polícia quer agoraAPURAR um esquema de lavagem de dinheiro que pode ter movimentado mais de dez bilhões de reais.

Descomplicador:

Lula da Silva vai ser investigado pela justiça brasileira por tráfico de influências, em movimentações entre África, América Latina e Brasil no período entre 2011 e 2014.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *