Dinheiro para Grécia chega esta segunda-feira

A União Europeia vai conceder um empréstimo de urgência à Grécia no valor de sete mil milhões de euros. Este dinheiro, que vai ser disponibilizado já a partir desta segunda-feira, vai servir para lidar com as necessidades do país com três meses de maturidade.  A Grécia precisa deste dinheiro enquanto não vê formalizado o terceiro programa de resgate previsto pelo acordo que se assinou finalmente esta semana, na cimeira do euro.

tsiprasSegundo o comunicado oficial feito público pela União Europeia, o Conselho garante assim o dinheiro para a Grécia no âmbito do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (EFSM). O fundo tem por objetivo garantir que os estados da União Europeia que não pertencem à zona euro não saem prejudicados nem correm o risco de ficar sem o reembolso em caso de dívida por parte de Atenas.

O empréstimo será concedido em duas tranches, para que a Grécia possa começar a saldar dívidas com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu até á formalização do novo resgate, o terceiro desde que a crise começou.

A notícia chega no dia em que se sabe que os deputados alemães aprovaram o resgate grego. 439 deputados votaram a favor, 119 contra e 40 abstiveram-se; dos que votaram contra, a maior parte é do partido de esquerda Die Linke, que não concorda com a falta de alívio à dívida grega, e 50 fazem parte do partido de Merkel, o CDU.

Em sintonia com o Die Linke está o FMI: o mecanismo de Christine Lagarde tem criticado o programa de resgate, afirmando mesmo que “a resposta clara” à pergunta sobre se a dívida grega é sustentável sem que haja um alívio imediato é “não”. Este era também o argumento utilizado por Yanis Varoufakis, o anterior ministro das Finanças grego, que chegou a afirmar preferir “cortar um braço” a assinar um acordo que não incluísse uma rápida reestruturação da dívida grega. Com tal aspeto só previsto a partir de 2022, Varoufakis já se pronunciou, num documento em que comentou o acordo medida por medida e afirmou que o novo resgate serve apenas para “adiar” o que é inevitável: o alívio da dívida grega.

Descomplicador:

A União Europeia aprovou novo empréstimo de urgência à Grécia, no valor de sete mil milhões de euros, enquanto o novo resgate não é formalizado. O resgate foi hoje aprovado pela Alemanha, depois de o mesmo ter acontecido no parlamento grego, mas os críticos dizem que o programa não é sustentável sem ser acompanhado pela reestruturação da dívida grega.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *