Actualizado: Listas do PS causam polémica. Em Santarém já há demissões

Rui BarreiroAs listas do Partido Socialista estão a causar alguma polémica nalguns circulos eleitorais. Santarém, Setúbal e Coimbra são os exemplos mais recentes, com as concelhias a estarem contra as federações distritais ou com António Costa a ter de alterar as listas. Em Santarém, o ex-Secretário de Estado Rui Barreiro, presidente da concelhia vai pedir a demissão da estrutura distrital e deixa no Panorama fortes criticas à distrital do PS.

Em Santarém o Panorama já tinha dado conta do descontentamento que esteve patente na reunião que aprovou as listas para as legislativas 2015. Rui Barreiro, ex-Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural no Governo de José Sócrates criticou nas redes sociais a decisão da Federação Distrital de Santarém, liderada por António Gameiro.

Contactado pelo Panorama, Rui Barreiro presidente do PS do concelho capital de distrito, afirma que é bastante grave o concelho de Santarém não estar representado, tendo em conta que “Santarém é dos concelhos que mais votos dá ao PS, no distrito, e tem gente com curriculum para integrar a respectiva lista” e dizendo que “os nomes da concelhia de Santarém eram apenas dois: Rui Barreiro e Idália Serrão”, deputada que foi surpreendentemente afastada.

O antigo Secretário de Estado da tutela do Ministério da Agricultura disse ainda que “não há ninguém na lista ligada ao sector da Agricultura quando na ultima legislatura o cabeça-de-lista foi convidado invocando-se a importância agrícola do distrito”, referindo ainda que os apoiantes de António Costa referiram mais “o João Sequeira que só foi colocado em 5º lugar”.

Rui Barreiro afirmou ainda ao Panorama que “não foram dadas justificações, (para o afastamento de Idália Serrão), apenas sabemos que a maioria dos elementos do secretariado viabilizaram a lista que veio a ser também aprovada na comissão política da federação” e mostrando-se desagradado com o facto de “o critério da representatividade territorial não ter sido seguido”. O presidente da concelhia vai agora pedir a sua demissão da estrutura distrital.

O ex-Secretário de Estado e também ex-Presidente da Câmara de Santarém diz ainda em jeito de conclusão que o “eixo Tomar-Ourém domina a federação do PS e fez valer o seu peso, deixando Santarém de fora”, considerando a situação “muito grave”.

Direcção Nacional recusa lista de Coimbra

Partido Socialista PSTambém em Coimbra, António Costa vai rejeitar a lista apontada pela distrital do partido, segundo relata o jornal Público. António Costa quer Rosário Gama a liderar a lista do distrito de Coimbra, promovendo algumas alterações, entre as quais a saída de Rui Duarte, que se encontra a ser julgado pelo crime de “falsificação de documentos”.

Entretanto o deputado Rui Duarte publicou na sua página de Facebook que a questão dos documentos falsificados se devem a questões internas do PS Coimbra e que “à excepção de uma ou outra multa de trânsito, sempre pautei a minha vida conforme o direito, dentro e fora da vida política, assim como sempre respeitei os estatutos e valores do Partido Socialista”, acrescentando que nunca falsificou “qualquer documento interno ou externo e jamais deixarei de, em boa fé, “acreditar como proponente” a entrada de novos militantes no Partido Socialista”.

António Costa não quer que “o trabalho de credibilidade e renovação das listas” seja estragado pelo “aparelhismo de algumas distritais”, segundo revela uma fonte ao Público. António Costa pode assim esta noite na reunião da Comissão Politica Nacional mexer nalgumas das listas que não cumpram os critérios definidos pela direcção nacional, estando também nesta situação Santarém e Viana do Castelo.

Em Santarém, o presidente da federação distrital e nº2 nas listas aprovadas, António Gameiro foi condenado ao pagamento de 45 mil euros por alegadamente ter ficado com o montante de uma cliente devido a um apartamento que vendeu como advogado.

Seixal e Almada de costas voltadas na Federação de Setúbal

Ana Catarina MendesNa Federação de Setúbal, onde a lista será encabeçada por Ana Catarina Mendes, a organização das listas também não foi pacifica. Almada contará com cinco candidatos a deputados e o Seixal com nenhum, levando assim a uma tomada de posição da concelhia do Partido Socialista.

Na moção aprovada em reunião da Comissão Politica por unanimidade, os militantes do Seixal afirmam que “tal lacuna, deliberada ou não, constitui um desrespeito pelo peso específico em termos eleitorais no distrito de Setúbal, porquanto o Seixal é o segundo “produtor” de votos, um pouco atrás de Almada”. A concelhia pede assim a António Costa que utilize um dos seus três lugares no distrito para colocar um candidato da concelhia.

O Partido Socialista do Seixal reforça ainda a sua posição com o facto de “o Seixal ter “remado contra a maré” do descalabro de resultados no distrito, sendo o único concelho em que o PS viu a sua posição reforçada quer em votos, quer em eleitos municipais nas últimas autárquicas em 2013”.

Descomplicador:

A realização das listas no Partido Socialista não está pacifica. Em Santarém, o presidente da concelhia pediu a demissão e deixa no Panorama um coro de criticas à Federação Distrital e também em Coimbra e Setúbal os “processos” não estão concluídos pacificamente.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *