“Os portugueses não trabalharam menos”

Henrique Neto Medina CarreiraHenrique Neto considera que “foram os políticos que governaram mal Portugal, porque os portugueses não trabalharam menos”. As declarações foram proferidas ontem, na conferência “Os políticos, a política e o Estado da Nação”, na qual o candidato à Presidência da República participou, juntamente com o economista Medina Carreira, na Marinha Grande.

Henrique Neto acrescentou que “se houve sectores da sociedade que gastaram demais, não foram certamente os que ganham cerca de 500 euros por mês”, dizendo que “esses sectores que (no passado) consumiram acima das posses do País serão aqueles que vão consumir mais com a dinamização do mercado interno”. Henrique Neto defendeu que “para resolver os problemas económicos do país bastava que o Governo copiasse o modelo da Marinha Grande, do distrito de Leiria, ou de Aveiro, que têm um saldo comercial positivo”.

No que respeita às possibilidade de futuro, o candidato independente mostra-se optimista, considerando que “há oportunidades para o País no campo da economia”, acrescentando que “temos excelentes empresários, temos excelentes trabalhadores, alguns a trabalhar no estrangeiro, a dar provas de boas capacidades, e a competir com empresários de toda a parte do mundo”.

Por sua vez, o professor e economista Henrique Medina Carreira criticou a medida proposta pelo Partido Socialista (PS) no seu programa eleitoral para as legislativas de 2015, de relançar a economia nacional através do aumento da procura interna, referindo que “o PS tem inclusive um estudo feito por economistas em que promete relançar a economia através do aumento da procura interna, o que é um caminho muito perigoso”. Para Medina Carreira, o problema é  “se se começar a relançar a economia pela procura interna, o que acontece é que a despesa do Estado vai subir de repente e em quantidades significativas, e os impostos para pagar este aumento da despesa só mais tarde é que vêm, são dificilmente cobráveis”.

Medina Carreira criticou igualmente a proposta socialista que prevê a diminuição da Taxa Social Única (TSU). “Entretanto também se corta na TSU, o que significa uma diminuição dos impostos, e o que se prevê é que, em pouco tempo, o défice de 3% do PIB passe a ser de 4%, e Bruxelas imediatamente toca o sino, as agências de rating avaliam negativamente a situação e há um aumento imediato dos juros”.

Descomplicador:

Henrique Neto disse numa palestra que organizou que “foram os políticos que governaram mal Portugal, porque os portugueses não trabalharam menos”. Medina Carreira criticou ainda o caminho apresentado pelo Partido Socialista quanto à procura interna e TSU.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *