Governo de Tsipras foi eleito há seis meses

Foi há seis meses que Alexis Tsipras saiu vencedor das eleições legislativas gregas. Com promessas reformistas, com a apresentação de medidas anti-austeridade e com a esperança de conseguir fazer frente aos credores e a Bruxelas, o Syriza foi o partido mais votado no país helénico e centrou todas as atenções sobre o futuro grego e até europeu.

tsiprasDesde a sua eleição, o executivo liderado por Alexis Tsipras fez correr muita tinta e foi assunto da semana inúmeras vezes. Por toda a Europa houve manifestações de apoio ao partido de esquerda. Os comentadores políticos dividiram-se em duas facções: uns elogiaram a coragem do povo grego em votar no Syriza e no seu programa eleitoral; outros criticaram a vitória de Tsipras por considerarem que não seria viável levar a cabo o programa a que se propunha na conjectura europeia.

Ao longo dos últimos seis meses os membros do governo grego destacaram-se por protagonizarem as difíceis negociações com os credores assim como com o Eurogrupo. Ponderou-se a saída da Grécia do euro – o Grexit – e discutiram-se diversas medidas para se tentar alcançar um acordo entre a Grécia e Bruxelas, mas também entre a Grécia e os credores. Depois de mais de cinco meses de avanços e recuos e de duras conversações, de um referendo onde o povo grego recusou a austeridade proposta pelos governos europeus, e do afastamento de Yanis Varoufakis, Alexis Tsipras aceitou a maior parte das medidas impostas pelo Eurogrupo e acordou um terceiro resgate à Grécia, contrariando assim as suas propostas eleitorais.

Na cerimónia de celebração dos 41 anos da restauração da democracia na Grécia – 24 de Julho de 1974 -, o primeiro-ministro grego preferiu olhar para a frente e reforçar a sua confiança no futuro. Alexis Tsipras afirmou que “o patriotismo democrático” que os activistas revelaram na restauração da democracia “é uma inspiração “para as batalhas que o povo grego” enfrenta hoje. O chefe do governo helénico acredita que foram recuperadas “a soberania e a independência perdidas com esta crise financeira” e que isso se deve também ao exemplo deixado pelos activistas políticos há 41 anos. Tsipras avisa ainda que as “as batalhas que o povo grego tem de enfrentar” não são em vão e que irão ajudar a superar “as maiores dificuldades”.

Depois de acordada a assinatura do terceiro resgate, discute-se nesta altura os moldes e a forma sob os quais este irá ocorrer.

Descomplicador:

O governo liderado por Alexis Tsipras foi eleito há precisamente seis meses. Depois de mais de cinco de negociações, a Grécia chegou a acordo com o Eurogrupo e aceitou grande parte das medidas de austeridade que tinham sido previamente recusadas. Nesta altura, discute-se os moldes em que o terceiro resgate irá decorrer.

Publicado por: José Pedro Mozos

22 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Socia e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Foi comentador num programa da rádio da sua faculdade sobre actualidade política; editor de música da ESCS Magazine e escreveu para o site Bola na Rede. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, é jornalista na SIC Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *