Governo de Tsipras foi eleito há seis meses

Foi há seis meses que Alexis Tsipras saiu vencedor das eleições legislativas gregas. Com promessas reformistas, com a apresentação de medidas anti-austeridade e com a esperança de conseguir fazer frente aos credores e a Bruxelas, o Syriza foi o partido mais votado no país helénico e centrou todas as atenções sobre o futuro grego e até europeu.

tsiprasDesde a sua eleição, o executivo liderado por Alexis Tsipras fez correr muita tinta e foi assunto da semana inúmeras vezes. Por toda a Europa houve manifestações de apoio ao partido de esquerda. Os comentadores políticos dividiram-se em duas facções: uns elogiaram a coragem do povo grego em votar no Syriza e no seu programa eleitoral; outros criticaram a vitória de Tsipras por considerarem que não seria viável levar a cabo o programa a que se propunha na conjectura europeia.

Ao longo dos últimos seis meses os membros do governo grego destacaram-se por protagonizarem as difíceis negociações com os credores assim como com o Eurogrupo. Ponderou-se a saída da Grécia do euro – o Grexit – e discutiram-se diversas medidas para se tentar alcançar um acordo entre a Grécia e Bruxelas, mas também entre a Grécia e os credores. Depois de mais de cinco meses de avanços e recuos e de duras conversações, de um referendo onde o povo grego recusou a austeridade proposta pelos governos europeus, e do afastamento de Yanis Varoufakis, Alexis Tsipras aceitou a maior parte das medidas impostas pelo Eurogrupo e acordou um terceiro resgate à Grécia, contrariando assim as suas propostas eleitorais.

Na cerimónia de celebração dos 41 anos da restauração da democracia na Grécia – 24 de Julho de 1974 -, o primeiro-ministro grego preferiu olhar para a frente e reforçar a sua confiança no futuro. Alexis Tsipras afirmou que “o patriotismo democrático” que os activistas revelaram na restauração da democracia “é uma inspiração “para as batalhas que o povo grego” enfrenta hoje. O chefe do governo helénico acredita que foram recuperadas “a soberania e a independência perdidas com esta crise financeira” e que isso se deve também ao exemplo deixado pelos activistas políticos há 41 anos. Tsipras avisa ainda que as “as batalhas que o povo grego tem de enfrentar” não são em vão e que irão ajudar a superar “as maiores dificuldades”.

Depois de acordada a assinatura do terceiro resgate, discute-se nesta altura os moldes e a forma sob os quais este irá ocorrer.

Descomplicador:

O governo liderado por Alexis Tsipras foi eleito há precisamente seis meses. Depois de mais de cinco de negociações, a Grécia chegou a acordo com o Eurogrupo e aceitou grande parte das medidas de austeridade que tinham sido previamente recusadas. Nesta altura, discute-se os moldes em que o terceiro resgate irá decorrer.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *