Negociações do terceiro resgate avançam e Syriza vive crise interna

O próximo dia 27 de Julho vai ficar marcado como o dia que deu início Às negociações entre a Troika e a Grécia para definir o terceiro pedido de resgate do país. Ontem à noite, o governo de tsipras oficializou o seu pedido de ajuda ao FMI e as conversações devem começar já na próxima segunda-feira.

Tsipras JunckerO início das negociações estava pendente da aprovação do segundo pacote de medidas que os credores exigiram que fossem aprovadas para que se pudesse proceder ao terceiro resgate. O parlamento grego aprovou o pacote nesta semana e Atenas já enviou o pedido de ajuda ao FMI e à União Europeia. É ainda de realçar o facto de tanto o primeiro como o segundo resgate da Troika ao país helénico ainda não chegaram ao fim.

O Primeiro-Ministro grego pretende apresentar ao parlamento do seu país a proposta referente ao terceiro resgate antes do dia 20 de agosto, data em que Atenas tem de pagar uma parcela da dívida comprada pelo BCE. Embora já tenham sido aprovadas algumas medidas prévias, exigidas pelos credores, há ainda um terceiro pacote que tem de ser aprovado pelo parlamento da Grécia. Neste lote, encontram-se algumas das medidas mais polémicas que o Syriza aceitou aprovar, uma delas é a eliminação das reformas antecipadas, ainda que de modo gradual.

Se, por um lado, os credores vêem com bons olhos a aprovação destas medidas, por outro lado, os membros do Syriza não se entendem quanto a esta temática. Este assunto não tem deixado Tsipras tranquilo e o líder do partido chegou mesmo a cortar com a Plataforma de Esquerda, um dos movimentos que compõem o Syriza, e com Panagiotis Lafazanis, agora ex-ministro da energia e dirigente do movimento.

Mas a crise interna que se vive no partido que saiu vencedor nas eleições de 24 de Janeiro deste ano não fica por aqui. Nikos Pappas, ministro de Estado grego, confirmou que uma vez concluídas as negociações do terceiro resgate o executivo pode avançar para umas eleições antecipadas. Caso se confirme este cenário, Nikos Pappas avança ser pouco provável que a Plataforma de Esquerda volte a integrar a lista de candidatos do Syriza.

As medidas prévias que foram aprovadas pelo parlamento grego contaram com vários opositores dentro do seio do Syriza e alguns deputados manifestaram-se descontentes com a situação. Alexis Tsipras diz que só depois de fechar as negociações para um terceiro resgate é que irá enfrentar as respectivas consequências políticas.

Descomplicador:

O parlamento grego aprovou esta semana um segundo pacote de medidas prévias, exigido pelos credores, para que pudesse oficializar o pedido de ajuda ao FMI. As negociações para o terceiro resgate devem assim começar na próxima segunda-feira, o que levou a que a crise interna que se vive no Syriza aumentasse.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *