Obama alerta para discriminação homossexual no Quénia

O presidente dos Estados Unidos está de visita oficial ao Quénia. Neste país africano, as relações entre casais do mesmo sexo são puníveis com uma pena de prisão que pode ir até aos 14 anos. Este dado não deixou Barack Obama indiferente e o líder americano aproveitou a ocasião da visita para criticar a situação e desafiar os países africanos a seguirem um rumo diferente: proteger por lei os direitos dos homossexuais.

Barack Obama“Quando um Governo ganha o hábito de tratar pessoas de forma diferente, esses hábitos podem espalhar-se”, afirmou o presidente dos Estados Unidos. Na resposta, o chefe de estado queniano, Uhuru Kenyatta, tentou descredibilizar o assunto: “não é uma questão que preocupe os quenianos”.

O repto foi lançado numa conferência conjunta dos chefes de estado dos dois países. Obama utilizou a sua experiência pessoal como afro-americano a crescer nos Estados Unidos para apelar a uma mudança. O presidente americano realçou o facto de no seu país o racismo ser uma questão que durante muitos anos discriminou, ao abrigo da lei, pessoas iguais. Para Obama, este exemplo é sinónimo de que a lei deve olhar para todos os cidadãos, não dando azo a que haja discriminações.

Barack Obama tinha assegurado à BBC que este seria um dos temas que queria abordar na sua visita, apesar de ter recebido vários conselhos que indicavam que seria arriscado abordar o assunto na visita ao continente africano.

O chefe de estado norte-americano está pela primeira vez em visita oficial ao país de origem do seu avô e pela quarta vez em África. Obama confessou que o facto de ser o primeiro presidente do seu país a visitar o Quénia tem um “valor pessoal” importante.

O primeiro presidente afro-americano dos Estados Unidos tem gerado uma autêntica euforia entre o povo queniano, a quem se dirigiu hoje pela primeira vez, na Cimeira do Empreendedorismo. Na sua intervenção, Obama afirmou que era “óptimo estar de volta” ao Quénia e recordou que África é “um continente em movimento” e que é a região “que mais rápido cresce”.

O presidente dos Estados Unidos está no Quénia para reforçar pactos comerciais e de segurança com Kenyatta. Uma vez concluída a visita, seguirá viagem para a Etiópia.

Descomplicador:

Obama tem gerado um enorme furor em torno da sua visita ao Quénia. Depois de um discurso na Cimeira do Empreendedorismo, o presidente dos Estados Unidos chamou a atenção dos países africanos para a discriminação que a lei impõe aos homossexuais, afirmando ser necessário seguir um caminho diferente.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *