Listas da coligação com onze membros do governo

Passos Coelho Paulo PortasForam hoje revelados os nomes dos cabeças de lista da coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP). Apesar dos rumores que foram surgindo ao longa da semana, só nesta segunda-feira é que os principais nomes foram oficialmente confirmados. Todos os cabeças de lista foram indicados pelo PSD, como já tinha sido noticiado previamente. No entanto, a coligação decidiu revelar também o primeiro candidato pelo CDS-PP nos principais círculos eleitorais.

Entre os cabeças-de-lista, contam-se sete membros do governo, dos quais quatro são ministros e os restantes secretários de estado. Pedro Passos Coelho é o número um por Lisboa; a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, encabeça a lista de candidatos por Setúbal; em Braga, é o ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, o escolhido para figurar como o primeiro candidato; o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco, é o cabeça de lista pelo Porto; a concorrer por Leiria estará a secretária de estado da igualdade, Teresa Morais; o candidato número um por Viseu é o secretário de estado António Letão Amaro; já no círculo emigração – fora da Europa é o secretário de estado José Cesário quem assume o lugar principal.

Do lado do CDS-PP apenas foram anunciados quatro nomes, mas todos eles fazem parte do actual executivo: Paulo Portas, Pedro Mota Soares, Assunção Cristas e João Almeida. Contas feitas, são onze os membros do governo que fazem parte dos nomes dos principais candidatos a deputados.

Uma das (poucas) surpresas entre os cabeças de lista é o nome de Teresa Leal Coelho. A deputada social-democrata tinha vindo a afastar-se do núcleo duro do partido mas acaba por surgir como a número um por Santarém, substituindo o polémico Miguel Relvas, que tinha ocupado esta posição nas eleições legislativas de 2011. A vice-presidente da bancada do PSD quebra assim uma das condições aprovada no Conselho Nacional do partido: não haveria autarcas dentro das listas. Recorde-se que Teresa Leal Coelho é vereadora da Câmara Municipal de Lisboa e que em 2011 foi eleita deputada pelo círculo do Porto.
Comissão Politica Nacional PSD Marco António Costa
É precisamente no Porto que surge outro nome polémico: Marco António Costa. O vice-presidente do PSD e porta-voz do partido tem gerado alguma polémica por estar a ser investigado por alegados crimes de tráfico de influências aquando do exercício do seu mandato na Câmara Municipal de Gaia. Indiferente a esta situação, o PSD indicou o ex-autarca para ser o número dois pelo Porto. Pedro Mota Soares é o primeiro nome do CDS-PP nesse mesmo círculo eleitoral.

É de destacar ainda o facto de ser João Almeida, que tem sido apontado para suceder a Paulo Portas na liderança do CDS-PP, o primeiro nome do seu partido pelo círculo e Aveiro. Não deixa de ser um dado curioso, já que em 2011 o cabeça-de-lista do CDS-PP neste círculo foi o próprio Paulo Portas. Nesta lista o primeiro candidato da coligação é Luís Montenegro.

Nos nome hoje anunciados figura um total de sete mulheres como cabeças-de-lista e ainda três independentes, embora todos com fortes ligações ao PSD, como é o caso de Carlos Abreu Amorim, número um por Viana do Castelo.

Descomplicador:

Foram hoje anunciados os principais nomes de candidatos a deputados pela coligação Portugal À Frente. Os cabeças-de-lista foram todos indicados pelo PSD. Do lado do CDS-PP, os quatro nomes anunciados fazem parte do actual governo. Entre os vários candidatos número um, contam-se sete mulheres e três independentes. Dos nomes hoje avançados, onze são membros do governo.

Publicado por: José Pedro Mozos

22 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Socia e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Foi comentador num programa da rádio da sua faculdade sobre actualidade política; editor de música da ESCS Magazine e escreveu para o site Bola na Rede. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, é jornalista na SIC Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *