O balanço do mandato de Obama até hoje

Em tempo de eleições primárias para as presidenciais nos Estados Unidos são várias as tentativas de balanço do mandato de Barack Obama, ainda que o fim da legislatura se dê apenas em novembro do próximo ano. Obama, que foi eleito pela primeira vez presidente dos Estados Unidos – o primeiro afroamericano a ser candidato e eleito – no final de 2008, foi reeleito em 2012 e pode ser agora sucedido por Hillary Clinton, que inicialmente o defrontou dentro do Partido Democrata.

Uma das grandes vitórias, sobretudo simbólica, de Obama foi a captura e morte de Osama Bin Laden. O líder da Al-Qaeda foi morto a 2 de maio de 2011 no Paquistão, onde se encontrava escondido, no âmbito da operação Neptune Spear.

Recentemente, e após doze anos de impasse, Obama conseguiu também assinar um acordo nuclear muito esperado com o Irão. O teor do acordo visava implementar uma visita de inspetores das Nações Unidas a instalações militares e uma limitação da atividade do Irão no setor nuclear, em troca da redução de sanções que têm sido aplicadas ao país e aos seus negócios na exportação de petróleo. Na política internacional, foi há poucos dias que reabriram as embaixadas dos EUA em Havana e de Cuba em Washington, num reestabelecimento muito aguardado das relações diplomáticas entre os dois países.

Obama Raul Castro

Uma das medidas mais faladas no interior foi a recente aprovação do casamento homossexual em todos os estados dos EUA. No entanto, ainda se vive alguma resistência às novas medidas nos estados mais conservadores, onde surgem recusas nas conservatórias.

Obama conseguiu também acabar com os métodos de tortura usados por agências que dependem do governo norteamericano e estabelecer novas regras para Wall Street.

No entanto, no ano e meio que lhe resta pela frente, Barack Obama ainda tem algumas conquistas importantes para alcançar. Entre elas, contam-se o prometido encerramento da prisão de Guantanamo. O Estado Islâmico afigura-se também como um dos maiores desafios para com a comunidade internacional, assim como o controlo da guerra na Síria.

O atual presidente assumiu, numa entrevista que sairá esta semana, à BBC, que “a maior frustração” da legislatura é não ter conseguido mudar as leis sobre a posse de armas. Obama criticou mesmo a “falta de senso comum” que leva a que haja muito mais mortes em tiroteios nos EUA do que por terrorismo.

Obama terá ainda de trabalhar sobre as leis da imigração e um programa para tornar grátis as propinas universitárias.

Descomplicador:

Em altura de preparação para as primárias das presidenciais de 2016, fazemos um balanço do que Obama já fez e do que falta fazer.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *