António Costa reage ao programa da coligação

António CostaAntónio Costa não demorou a reagir à apresentação do programa eleitoral da coligação PSD/CDS. O líder do Partido Socialista acusou a coligação Portugal à Frente de querer dar inicio a uma “fúria privatizadora” e deixou ainda um conjunto de “farpas” à aliança entre Passos Coelho e Paulo Portas.

O Secretário-Geral do PS criticou o plafonamento da Segurança Social, que disse ser “a privatização do estado social”, referindo que as propostas do PS foram assentes em “rigor orçamental, com base na margem orçamental que temos e conhecendo o impacto de cada uma das medidas”, ao contrário do programa do Partido Social Democrata e do CDS.

António Costa referiu ainda que este programa não passa de um “saco de palavras”, por não ter quaisquer contas feitas, acrescentando ainda que o Primeiro-Ministro “pensa que pode fazer uma campanha a enganar as pessoas como há quatro anos”.

O candidato a Primeiro Ministro pelo PS atirou ainda uma “farpa” à coligação, ao afirmar que “temos que ter cautela para ver se o que dizem é revogável ou não”. No entanto as provocações não se ficariam por aqui, com António Costa a dizer ainda que “ao ver aquele slogan ‘Portugal pode mais’ pensei que era ‘Portugal deve mais’ porque a promessa da redução da dívida foi um enorme fracasso”.

No meio das criticas e das provocações deixadas à coligação, António Costa disse ainda que “o Governo devia acender uma velinha à Constituição e uma segunda velinha ao Tribunal Constitucional por ter travado as medidas de maior austeridade”, acrescentando que “se não fosse a Constituição, a tragédia social teria sido maior”.

Descomplicador:

António Costa foi rápido a reagir ao programa eleitoral da coligação Portugal à Frente, criticando a falta de base com que foi construído e acusando-o de ser um “saco de palavras”. Pelo meio o Secretário-Geral do PS lançou ainda um conjunto de “farpas” a Passos Coelho e Portas.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *