Governo estuda forma de resolver o regresso de trabalhadores de Angola

Construção CivilHá uma vaga de emigrantes portugueses em Angola que estão a regressar a Portugal fechadas que estão as portas no continente africano. O Secretário de Estado das Comunidades, João Cesário garantiu já que o Governo está a par da situação e vai encontrar soluções para os portugueses que estão a regressar ao país.

As soluções podem passar pela reconversão ou pela formação profissional que permitam aos emigrantes regressados novamente ao país natal encontrar outro tipo de empregos fora das suas áreas de actuação. A ideia da Secretaria de Estado é assim possibilitar que os portugueses regressados possam “reintegrar-se no mercado de trabalho externo ou interno”, podendo assim nos casos mais graves passar “pela reconversão profissional”, sempre com o objectivo de pôr fim à situação de desemprego.

Para já o Governo não conhece os números exactos dos trabalhadores que estavam em Angola e estão a regressar a Portugal devido à falta de fiabilidade dos sistemas de informação em Angola mas garantiu que “muitos milhares continuam a trabalhar em Angola, apesar de outros milhares terem regressado a Portugal nos últimos tempos”, disse João Cesário.

João Cesário manifestou-se preocupado com “a redução de milhares de postos de trabalho em Angola, especialmente no sector da construção civil”, isto depois de uma reunião com o Sindicato da Construção de Portugal, que denunciou também situações de abuso profissional e salários em atraso que o Governo garantiu “ir verificar”.

O Secretário de Estado das Comunidades vai também pedir ao corpo diplomático em Angola para prestar mais atenção e para estar mais presente no terreno por forma a analisar as situações de que o Governo tem vindo a tomar conhecimento. O Sindicato fala em 200 empresas que levaram trabalhadores para Angola e que agora faliram.

Descomplicador:

O Secretário de Estado das Comunidades, João Cesário manifestou-se preocupado com a situação de milhares de trabalhadores portugueses em Angola, especialmente no sector da construção civil, situação que promete ir “verificar” e para a qual a Secretaria de Estado quer encontrar soluções de requalificação profissional.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *