Manuel Alegre apela à união da esquerda para a segunda volta das Presidenciais

O ex-candidato presidencial em 2006 e 2011, Manuel Alegre disse hoje em declarações ao jornal i que a esquerda deve tirar ilações da atitude tomada por Álvaro Cunhal na eleição presidencial de Mário Soares frente a Freitas do Amaral. O poeta defende uma esquerda unida na segunda volta das presidenciais de 2016.

Manuel AlegreManuel Alegre falou sobre a eleição de Mário Soares frente a Freitas do Amaral, recordando que o líder do Partido Comunista Português, Álvaro Cunhal reuniu novo congresso do PCP para voltar atrás com uma decisão que tinha sido tomada tempos antes. “Álvaro Cunhal, que tinha decidido em congresso jamais votar em Soares, perante o perigo da direita, voltou a reunir o congresso num dia, para anular essa decisão e deu a vitória a Mário Soares na segunda volta”, recorda o ex-candidato a Belém.

É também pegando no seu exemplo que Manuel Alegre defende que tanto a esquerda dentro do Partido Socialista como fora do Partido Socialista deve reflectir sobre esta tomada de posição e tomar uma posição idêntica que permita a eleição de um candidato de esquerda numa segunda volta.

Manuel Alegre defende ainda que nenhum candidato de direita nem nenhum candidato de esquerda vai conquistar uma vitória na primeira volta, defendendo assim uma união numa segunda volta, “ainda que alguém tenha que engolir algum sapo”. No entanto o poeta defende que agora não é tempo de falar de presidenciais, dizendo ainda que “a direita quer falar da Presidência da República para não ter de falar das legislativas”.

O candidato em 2006 e 2011 sempre contra Cavaco Silva defende que a direita está mais dividida que a esquerda, com “Rui Rio, Marcelo Rebelo de Sousa e ainda Santana Lopes”, alertando no entanto para o facto de a direita “não estar a trazer estas discussões a público, ao contrário do PS que está a transformar as presidenciais num tema de pré-campanha para as legislativas”.

Descomplicador:

Manuel Alegre, ex-candidato presidencial, defendeu uma união da esquerda no apoio a um candidato na segunda volta das presidenciais, recordando o exemplo dado por Álvaro Cunhal no apoio a Mário Soares contra Freitas do Amaral.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *