Actualizado: “Candidata surpresa” do CDS é adjunta de Assunção Cristas

O CDS avançou já o nome da “candidata surpresa” do CDS às eleições legislativas de 2015. Recorde-se que no Conselho Nacional do CDS onde foram aprovadas as listas, apenas em Santarém o lugar tinha ficado por preencher, com o líder do partido a ter assim carta branca para indicar quem entendesse.

Assunção CristasA candidata pelo circulo de Santarém é assim Patrícia Fonseca de Oliveira, adjunta da ministra Assunção Cristas no Ministério da Agricultura e com uma forte ligação a Santarém, onde reside e através da sua actividade profissional na área agrícola. Patrícia Fonseca de Oliveira foi nomeada adjunta de Assunção Cristas em Novembro de 2014, não tendo ainda feito um ano no Ministério da Agricultura e do Mar.

A informação foi avançada pela Rádio Renascença e confirmada ao Panorama por uma fonte da distrital do partido.

Actualmente com 43 anos, Patrícia Carla Bonança de Mattamouros Resende Fonseca de Oliveira, é licenciada em Engenharia Agronómica, no ramo de Economia Agrária e Sociologia Rural pelo Instituto Superior de Agronomia, tendo sido Secretária Geral da Associação de Agricultores do Ribatejo e ainda professora assistente convidada da Escola Superior Agrária de Santarém, na área de Gestão de Marketing e Economia e Desenvolvimento, desde 2011.

Fez parte de vários Conselhos Consultivos sectoriais da CAP (Confederação dos Agricultores de Portugal), nomeadamente os relativos ao Desenvolvimento Rural, Ribatejo, Ambiente e Água. Na fase inicial da sua vida profissional, Patrícia Fonseca de Oliveira trabalhou 4 anos na consultora agrícola Agrogés, então liderada pelo ex-Ministro da Agricultura Sevinate Pinto e pelo Professor Francisco Avillez.

Em Novembro de 2014 foi convidada pela Ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, para a acompanhar no Gabinete, nomeadamente com funções de relacionamento com os agentes económicos e sociais e representação na Comissão Interministerial de Fundos Comunitários.

Com a escolha da nº4 por Santarém estão assim definitivamente encerradas as listas da coligação Portugal à Frente, situação que mereceu criticas de José Ribeiro e Castro, pela carta branca que foi dada ao líder do partido em Conselho Nacional para a escolha da candidata. Por Santarém a cabeça-de-lista é Teresa Leal Coelho, seguida de Nuno Serra e Duarte Marques, com Patrícia Fonseca de Oliveira a ocupar o quarto lugar da lista.

Actualização (19h): O nome de Patrícia Fonseca de Oliveira foi indicado por um elemento da distrital do CDS de Santarém, tendo recebido depois aprovação da direcção nacional, tendo em conta que é um nome conhecido da ministra centrista Assunção Cristas.

A direcção do CDS informou as concelhias do distrito da escolha da candidata a deputada durante a noite de dia 12 de Agosto, dizendo que “acreditamos que quem ainda não a conhece vai gostar muito de a conhecer e estamos convictos de que é uma grande escolha”.

O CDS sublinhou ainda na nota a que o Panorama teve acesso que esta “é a primeira participação política da Engª Patrícia Fonseca de Oliveira em eleições democráticas; não tem e nunca teve filiação partidária”.

Texto actualizado ainda com mais informações biográficas e profissionais da candidata.

Descomplicador:

O CDS já indicou a sua “candidata surpresa” por Santarém. Patrícia Fonseca de Oliveira será assim a nº4 do CDS por Santarém, depois de em Conselho Nacional o lugar ter ficado por preencher. Patrícia Fonseca de Oliveira é adjunta de Assunção Cristas no Ministério da Agricultura.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *