IEFP com formações na área das Tecnologias da Informação e Comunicação

 É já a partir do fim do próximo mês que o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) vai dar oportunidade a 1400 licenciados no desemprego para obterem formação na área de Tecnologias e Informação e Comunicação. Numa ação financiada pelo IEFP que ficou decidida em Julho, os indivíduos selecionados poderão frequentar 55 ações de formação em 26 universidades e politécnicos.

iefpEsta é uma tentativa de voltar a inserir estes licenciados no mercado de trabalho dado o atual défice de profissionais em TIC, apesar de esta ser atualmente uma das áreas em voga nacional e internacionalmente.

 O Panorama falou com André Cunha, um jovem licenciado de 27 anos que se encontra atualmente desempregado. Apesar das suas qualificações, André, licenciado e pós-graduado na área da Comunicação, tem sentido dificuldades em encontrar um emprego estável desde a sua entrada no mercado de trabalho. Com dois estágios no currículo e sem perspetivas de contrato à vista, André foi chamado pelo IEFP para integrar o grupo de pessoas que vai ter acesso a esta nova ação de formação. “Neste momento, frequento uma ação de formação em Competências de Empreendedorismo. Fui à primeira de cinco sessões, que consistiu em preparação de currículos e de entrevistas de emprego, o que, para uma pessoa com alguma experiência, não acrescenta muito”. André adianta que para não perder direito ao subsídio de desemprego se desloca com frequência a um Centro de Emprego distante da sua residência. “Desta vez fui lá apenas dez minutos para me apresentarem a nova formação”.

Sem grandes novidades, André ficou a saber que poderá frequentar uma formação de mais de 200 horas em setembro, na área da Informática, que posteriormente poderá dar acesso a um estágio. Uma oportunidade que o jovem licenciado considera mais útil do que aquelas que já recebeu: “o que estou a fazer agora não acrescenta nada de útil a uma pessoa com o meu percurso”. Mesmo sendo esta a terceira fase da formação que frequenta, dado que quem é licenciado pôde dispensar as duas primeiras fases.

Recorde-se que em junho a percentagem de licenciados inscritos nos centros de emprego era de 13 por cento.

Descomplicador:

O IEFP vai dar acesso a licenciados no desemprego a formações na área das Tecnologias da Informação e Comunicação.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *