Joana Amaral Dias reduz campanha devido a “gravidez de risco”

Joana Amaral DiasJoana Amaral Dias vai ter de reduzir a sua actividade ao longo da campanha eleitoral para as eleições legislativas de 04 de Outubro. A líder do movimento Agir, que congrega ainda o Partido Trabalhista Português e o Movimento Alternativa Socialista, anunciou esta terça-feira que está grávida e que a sua situação “foi agora considerada de risco”.

A ex-deputada do Bloco de Esquerda informou em conferência de imprensa que a gravidez terá “consequências para  campanha eleitoral”, realçando que o plano inicial, que passava por fazer campanha “em todas as capitais de distrito” terá de ser remodelado. Joana Amaral Dias vai assim reduzir a campanha que tinha previsto devido ao facto de estar grávida.

A líder do recém-criado movimento anunciou que se for eleita pretende gozar do seu direito a usufruir da licença de parto. Se esta situação se verificar Joana Amaral Dias será substituída por um outro elemento que faça parte do movimento. A revelação do nome desse elemento ficou remetida para o fim desta semana ou o início da próxima, dado que o anúnico apenas se fará depois de entregues as listas de candidatos pelo Agir. Recorde-se que a entrega da candidatura acontecerá esta sexta-feira.

Joana Amaral Dias vê assim a sua actividade ficar reduzida mas a ex-deputada não quis esconder este dado dos eleitores por uma questão de “transparência”, já que considera que a relação entre o movimento e os eleitores deve ser “clara e fiel”.

Descomplicador:

Joana Amaral Dias, ex-deputada do Bloco de Esquerda, informou esta terça-feira que a campanha do movimento Agir, que agora lidera, será reduzida. A razão prende-se com o facto de a sua gravidez, que está agora no quarto mês, ter sido considerada de risco.

Publicado por: José Pedro Mozos

22 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Socia e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Foi comentador num programa da rádio da sua faculdade sobre actualidade política; editor de música da ESCS Magazine e escreveu para o site Bola na Rede. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, é jornalista na SIC Notícias.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *