Costa: PS não faz promessas, cumpre compromissos

António Costa apresentou esta quarta-feira o impacto económico do programa socialista, na sede do Partido Socialista, em Lisboa. Numa sessão em que as críticas à coligação estiveram presentes, o líder socialista explicou quais as principais prioridades para o seu partido: promover o emprego e combater a precaridade; dar prioridade às pessoas; aumentar o rendimento disponível das famílias; resolver os bloqueios de financiamento às empresas e promover um Estado “forte, inteligente e moderno”.

António CostaAntónio Costa comparou as propostas que PS e a coligação Portugal à Frente apresentam. Para o ex-presidente da Câmara de Lisboa, a escolha faz-se entre a “continuidade” das políticas dos últimos quatro anos ou “ou a construção de uma alternativa de confiança, não assente em ilusões mas sim numa análise séria e realista”. Na mesma linha, o candidato a primeiro-ministro garantiu que o PS não “faz promessas”, mas “cumpre compromissos”.

Houve tempo ainda para deixar algumas farpas a PSD e CDS-PP, que acusou de “radicalismo ideológico” e de conduzirem o país a um retrocesso. Para António Costa, “a construção da confiança não é uma questão de fé”.

Descomplicador:

António Costa apresentou hoje, numa sessão em Lisboa, o impacto económico das medidas a cumprir por um hipotético governo PS. O líder socialista aproveitou para deixar críticas à coligação de direita.

 

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *