Mariana Mortágua ataca propostas do governo em vídeo

Mariana Mortágua, cabeça de lista por Lisboa pelo Bloco de Esquerda, tem vindo a despertar atenções desde o seu desempenho na Comissão de Inquérito ao caso BES. Os conhecimentos sobre economia da deputada aliados ao seu discurso direto levaram a que fosse criada uma página de Facebook que pede que seja primeira-ministra ou a que se escrevessem perfis seus em revistas de prestígio internacional, como a Bloomberg. Em tempo de eleições, o Bloco de Esquerda decidiu capitalizar essa capacidade de Mariana Mortágua de se fazer entender por palavras simples para explicar aos portugueses algumas medidas propostas pelo atual governo.

Através da página de Facebook da deputada e do site Esquerda.net, foi difundido este sábado um curto vídeo intitulado “Não deixem que lhe falem da devolução da sobretaxa do IRS”. Neste, uma Mariana Mortágua sozinha sob um fundo colorido explica que esta tem sido uma das propostas dominantes da campanha da coligação. Depois, a deputada passa a explicar que para entender a proposta, os portugueses devem saber se “o governo fez bem as contas” e se o processo se trata de uma “devolução real”. Depois de argumentar que “o acerto de contas é tudo menos certo”, uma vez que trata de impostos que “o Estado ainda não recolheu”, e que o governo está a reter os reembolsos de IVA e IRS até após as eleições, Mortágua usa o exemplo de um hipermercado para desmascarar o que compara a uma falsa “supercampanha de descontos”. Mortágua remata de forma assertiva: “deixava-se enganar assim por um hipermercado?”.

Esta não é a primeira vez que o Bloco de Esquerda alia a plataforma vídeo ao discurso explicativo de Mariana Mortágua para atacar o governo. Esta semana tinha sido publicado outro vídeo, desta feita intitulado “Lições do crash das bolsas chinesas”, em que retira deste desastre financeiro “duas importantes lições para Portugal”. Assim, Mortágua defende a não privatização de setores estratégicos para Portugal e a rejeição da proposta de plafonamento da Segurança Social pela coligação. Tomando a mesma estrutura e duração do vídeo mais recente, aqui a deputada volta a recorrer a um exemplo para justificar o seu argumento: “se em 2008 tivesse colocado os seus descontos num fundo privado dependente da bolsa portuguesa, hoje teria perdido metade da sua reforma”.

Descomplicador:

O Bloco de Esquerda lançou dois vídeos em que Mariana Mortágua desmonta propostas do atual governo para os próximos quatro anos, defendendo uma “política económica que proteja as pessoas” contra uma “economia de casino”.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *