Passos Coelho apela ao voto com base no futuro

Pedro Passos Coelho encerrou este domingo, com um discurso, a Universidade de Verão do partido que lidera. Perante uma plateia repleta de jovens sociais-democratas, o primeiro-ministro criticou o discurso do Partido Socialista e pediu para que os portugueses votassem com base no futuro e não olhando para o passado. O presidente do PSD concluiu ainda que tanto o Governo como a banca “não servem para trazer amigos”, mas sim “pessoas competentes”.

Pedro Passos CoelhoNa intervenção do primeiro-ministro foi sublinhada a ideia de que para crescer é preciso financiamento. É aqui que Pedro Passos Coelho ataca o PS: “A alternativa é entre austeridade e crescer? Não, não é verdade. Para crescer precisamos de ter financiamento e para isso precisamos de ter as contas em ordem. O resto, como todos se recordam, é um conto de crianças”. O presidente do PSD voltou assim a usar a expressão que utilizara em Janeiro para criticar o programa de governo do Syriza. Desta vez o alvo foi o Partido Socialista.

Focando-se na atuação do executivo que lidera, Passos Coelho salientou o facto de hoje em dia se ter alcançado um regime com mais liberdade económica e financeira, assim como uma maior liberdade política no futuro. Na ótica do primeiro-ministro esta situação permite olhar para o futuro com mais esperança do que há uns anos e “não ter saudades nenhumas” do tempo que antecedeu a crise financeira.

É por isso que o líder social-democrata pede que se olhe para o futuro e não para o passado. “Não vale a pena chover sobre o molhado”, disse. Num apelo aos mais indecisos, Passos Coelho relembrou que a escolha do próximo governo não pode ser “uma escolha partidária”, acrescentando que a tomada de decisão deve incidir sobre “o futuro da sociedade portuguesa”.

O primeiro-ministro garantiu ainda que, caso o seu mandato seja renovado, a coligação Portugal à Frente irá combater as desigualdades sociais e ouvir “todos os portugueses”, porque o executivo deve “governar para todos” e não apenas para aqueles que votaram no(s) partido(s) do governo.

Descomplicador:

Pedro Passos Coelho encerrou este domingo a Universidade de Verão do PSD com um discurso onde criticou o PS e apelou ao voto na coligação. O primeiro-ministro salientou a importância de se votar a pensar no futuro e não no passado.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *