Ribeiro e Castro quer acção judicial contra Estado Islâmico

O deputado do CDS-PP Ribeiro e Castro quer organizar uma acção judicial contra o autoproclamado Estado Islâmico no Tribunal Penal Internacional. Para levar a cabo esta medida, o deputado já encetou contactos com outros parlamentos europeus e pretende apresentar esta medida em Portugal já na próxima quinta-feira numa reunião extraordinária da comissão parlamentar de Negócios Europeus.

José Ribeiro e Castro pretende mobilizar não só a União Europeia mas também os diferentes parlamentos europeus para que se proceda à análise de uma acção contra o Estado Islâmico. Para reforçar a sua posição, o ex-presidente do CDS-PP relembrou que a UNESCO já classificou a destruição do património em Palmira executado pelo Estado Islâmico como “crime de guerra sancionado internacionalmente”.

Ribeiro e CastroPara o deputado, a actuação do Estado Islâmico não se trata apenas de um conjunto de crimes contra o património mas também de “crimes contra a Humanidade”. Ribeiro e Castro fala mesmo em “genocídio” e afirma que esta é a mesmo a palavra que deve ser usada para classificar estes crimes e os actos terroristas que o Estado Islâmico tem vindo a cometer.

Desde “violações de mulheres” a “execuções sumárias e bárbaras”, a lista de crimes constitui para Ribeiro e Castro “um rol interminável de crimes contra a Humanidade” que merecem uma acção por parte do Tribunal Penal Internacional. O deputado centrista relembrou ainda que “a gravíssima crise migratória” se deve também ao Estado Islâmico.

A proposta será discutida na próxima reunião da comissão de Negócios Europeus, cujo presidente, Paulo Mota Pinto, já afirmou apoiar a iniciativa.

Descomplicador:

José Ribeiro e Castro está a organizar uma medida que prevê condenar o Estado Islâmico através de uma acção judicial no Tribunal Penal Internacional. O deputado garante já ter contactado outros parlamentos europeus e por cá conta com o apoio do presidente da comissão parlamentar de Negócios Europeus. Na próxima quinta-feira, esta comissão analisará a medida proposta pelo deputado do CDS-PP.

Publicado por: José Pedro Mozos

22 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Socia e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Foi comentador num programa da rádio da sua faculdade sobre actualidade política; editor de música da ESCS Magazine e escreveu para o site Bola na Rede. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, é jornalista na SIC Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *