Poiares Maduro: Portugal pode receber mais refugiados

O Ministro adjunto e do Desenvolvimento afirmou hoje que Portugal tem disponibilidade de acolher mais refugiados do que os 1500 que a quota europeia propõe. O governante referiu mesmo que vai ser criado um grupo de coordenação sobre o assunto a nível nacional, embora o número esteja dependente das regras da União Europeia.

Miguel Poiares MaduroFoi no final do Conselho de Ministros, em declarações aos jornalistas, que Miguel Poiares Maduro falou do problema dos refugiados na Europa. O ministro deixou uma mensagem, dizendo esperar “que essa mesma solidariedade e disponibilidade também exista por parte dos outros Estados europeus”.

Poiares Maduro esclareceu ainda que o referido esse grupo de coordenação “será constituído por representantes da Direção Geral dos Assuntos Europeus, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, que coordenará este grupo técnico, do Instituto da Segurança Social, do Instituto de Emprego e Formação Profissional, da Direção-Geral de Saúde e da Direção-Geral de Educação e do Alto Comissariado para as Migrações” e visará assuntos como o tipo de acolhimento a prestar aos refugiados que chegam. O ministro adjunto apaziguou os ânimos, referindo que “a posição portuguesa é a de que nós não devemos, nenhum Estado, nenhum Governo nacional deve contribuir para um clima que dificulte ainda mais o acolhimento dos refugiados, o acolhimento dos imigrantes. Nós temos de ter uma política europeia nessa matéria que não promova o agravamento da crise humanitária”.

Catarina Martins acusa governo de não querer receber imigrantes

Catarina MartinsApesar das declarações do ministro adjunto, Catarina Martins deixou esta quarta-feira duras críticas à atuação do governo no que toca ao acolhimento de refugiados. Numa ação do Bloco de Esquerda que visava chamar a atenção para os difíceis acessos para pessoas com deficiências em Lisboa, a líder bloquista acusou o governo de ter “uma postura vergonhosa”. “Não recebemos nenhum refugiado da quota de 2014, que era só de 45, e Passos Coelho gabou-se de ter conseguido reduzir a quota de refugiados para 2015, de 2.000 que nos propunham para 1.500. Devo dizer que Angela Merkel tem-se portado bastante melhor que Passos Coelho. Ele que gosta tanto de seguir o Governo alemão, esta era uma boa altura”.

Para Catarina Martins, os refugiados devem ser recebidos, e deve ser criado um corredor humanitário dentro da Europa. Já nesta quinta-feira, a líder do Bloco de Esquerda voltou a falar da crise dos refugiados: Catarina Martins sugeriu que Pedro Passos Coelho aproveite a visita do primeiro-ministro britânico, David Cameron, durante esta sexta-feira, para se demarcar da posição deste último sobre os refugiados. Recorde-se que David Cameron comparou a vaga de refugiados a uma “praga”.

Descomplicador:

O ministro adjunto revelou hoje que Portugal pode receber mais refugiados além dos propostos pelas quotas da UE. No entanto, a líder do Bloco de Esquerda ataca o governo em relação à sua posição sobre o acolhimento dos refugiados.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *