Miguel Macedo em casa com termo de identidade e residência

Miguel Macedo ficou hoje sujeito à medida de coação mais leve, a de termo de identidade e residência. O ex-Ministro da Administração Interna começou na passada terça-feira a ser interrogado no âmbito do caso dos Vistos Gold.
Miguel MacedoO deputado social-democrata é suspeito de crimes de prevaricação de titular de cargo político e de tráfico de influências. A “Operação Labirinto” começou a investigar o ex-governante a partir de julho deste ano, depois de a Comissão Parlamentar de Ética ter levantado a imunidade parlamentar que Miguel Macedo ainda possuía. Apesar de este acto ter sido meramente formal, já que sempre que o crime imputado a um deputado envolva uma moldura penal superior a três anos de prisão o Parlamento vê-se obrigado a retirar a imunidade, era uma questão crucial para que a investigação pudesse avançar.
Neste processo estão envolvidos mais onze nomes para além do de Miguel Macedo e alguns suspeitos já estão inclusive detidos. Nas últimas semanas foram avançadas informações que dão conta de que na base das suspeitas sobre o ex-ministro estrão escutas telefónicas em que o nome de código de Miguel Macedo – “cavalo branco” – é várias vezes referido.
Recorde-se que foi a “Operação Labirinto” que esteve na origem da demissão de Miguel Macedo em Novembro de 2014, passando a pasta para a actual Ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues.

Descomplicador:

Miguel Macedo, ex-Ministro da Administração Interna, ficou hoje em liberdade com termo de identidade e residência, no âmbito do interrogatório para o caso dos Vistos Gold.
Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *