Passos Coelho não está “embaraçado” com divulgação da carta

Segundo avança o jornal “Público” na edição de hoje, Pedro Passos Coelho enviou uma carta em 2011 ao então primeiro-ministro, José Sócrates, onde apoiava a vinda da troika e o pedido de ajuda externa. O líder do PSD terá dito que chamar a troika se tratava de “um acto de responsabilidade” para salvar o país, já que considera que na altura Portugal “estava a arder”. O tema marcou a manhã de pré-campanha e o líder do PSD afirmou não estar “embaraçado” com a notícia veiculada pelo jornal “Público”.

Pedro Passos CoelhoDepois de revelada esta informação e de ter sido confrontado pelos jornalistas com a divulgação da carta, Pedro Passos Coelho não se mostrou preocupado e afirmou que não está embaraçado com a revelação do documento. O líder dos sociais-democratas chega mesmo a alegar que quem se devia sentir embaraçado era “o líder do Partido Socialista porque o que essa carta vem recordar é o tempo dramático que o país viveu numa altura em que a nossa casa estava a arder”. Aos olhos do primeiro-ministro, o que fica patente é que José Sócrates “se recusava a pedir ajuda para que as pessoas pudessem ter direito a receber os seus salários e as suas pensões”.

Num evento de pré-campanha sobre economia social da coligação Portugal à Frente, que teve lugar esta manhã em Cascais, Paulo Portas também não esqueceu o tema e relembrou uma discussão entre José Sócrates e Mário Soares. O episódio terá acontecido antes do pedido de ajuda internacional, e que foi revelada pelo próprio ex-Presidente da República. Nessa discussão recordada hoje pelo vice-primeiro-ministro na sua intervenção, Mário Soares terá discutido com José Sócrates “brutalmente mas amigavelmente” apelando a que se fizesse o pedido de ajuda externa, algo que Sócrates queria evitar mas que acabou por aceitar. Paulo Portas acrescentou ainda que o PS está “em negação absoluta”.

Já Jerónimo de Sousa considera que “ambos têm razão” porque “ninguém negociou nada”, tudo “foi imposto” pela troika. Do lado do Bloco de Esquerda, Catarina Martins lamenta a polémica que apelida de “jogo triste que não diz nada ao país” e afirma que a revelação da carta “não é novidade para ninguém”. A porta-voz do Bloco de Esquerda, diz que ninguém se esqueceu “do que aconteceu em 2011 no facto de PSD ter dito que queria solução troika” e trouxe ainda à memória Eduardo Catroga, que no fim das negociações anunciou que o resultado final do memorando “tinha sido muito influenciado” pelo PSD.

A carta enviada pelo agora primeiro.ministro data de 31 de Março de 2011, exactamente uma semana antes de José Sócrates ter efectuado o pedido de ajuda externa, a 6 de Abril.

Descomplicador:

Pedro Passos Coelho enviou uma carta a José Sócrates em 2011 a mostrar apoio quanto ao pedido de ajuda internacional e à vinda da troika. A divulgação do documento foi feita hoje pelo jornal “Público”. O primeiro-ministro não se mostra “embaraçado”. À esquerda, CDU e Bloco não esquecem que tanto PS como PSD são responsáveis pela vinda da troika.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *