Carly Fiorina ameaça liderança de Trump

Carly Fiorina começa a ganhar terreno para as primárias republicanas. A candidata continua atrás de Donald Trump nas preferências dos eleitores, mas coloca-se em segundo lugar na corrida, com 15 por cento dos republicanos do seu lado. A sondagem da CNN/ORC revela que Donald Trump perdeu 8 por cento das intenções de voto este mês.

Carly FiorinaA ex-presidente da HP já ultrapassou nomes como Scott Walker, Rand Paul e Chris Christie e está uma posição acima de Ben Carson. Neste momento, encontra-se 3 pontos acima da posição em que se encontrava no início de setembro.  Para Donald Trump a tendência é contrária: começou o mês com 32 por cento mas encontra-se agora com 24 por cento das intenções de voto.

Os resultados positivos para Carly Fiorina são apontados como fruto da prestação da candidata no último debate republicano. No confronto de quarta-feira, segundo um estudo de opinião da CNBC, Carly foi a candidata que se saiu melhor, com 36 por cento das preferências.
A candidata tinha sobressaído há dias mas não pelas melhores razões: Trump, quando dava uma entrevista à revista Rolling Stone, referiu-se a Fiorina dizendo: “olhe essa cara! Alguém pode votar nisso!”. Questionado sobre o episódio no debate, um Trump visivelmente incomodado referiu respeitar as mulheres, terminando a intervenção dizendo que Carly é “uma mulher bonita com um rosto bonito”.

Carly Fiorina também se destacou com a sua posição sobre o acordo nuclear com o Irão: “quando for presidente vou dar dois telefonemas. O primeiro para meu amigo Benjamin Netanyahu para reafirmar meu apoio. E o segundo para o aiatolá (Jamenei) para lhe dizer que a menos que permita a inspeção de todas as suas instalações, vamos impedir que seu dinheiro se movimente pelo mundo”. Carly Fiorina arrancou aplausos também ao falar do aborto e de defender que se cortem relações com o presidente russo Vladimir Putin, que considera perigoso.

Descomplicador:

Carly Fiorina destaca-se cada vez mais na corrida à nomeação republicana, desafiando a liderança de Donald Trump.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *