O que os candidatos a primeiro-ministro dizem da Grécia

O Syriza conseguiu ontem confirmar o mandato conseguido em janeiro. Apurados os resultados das eleições antecipadas convocadas pelo ex-primeiro-ministro, Alexis Tsipras, o partido fica com 35 por cento dos votos, um resultado muito similar ao das eleições de janeiro (36,3 por cento). Em termos de deputados, o Syriza consegue menos quatro do que em janeiro (145 contra os antigos 149), mas volta a coligar-se com os Gregos Independentes, conseguindo assim uma maioria de 155 dos 300 deputados do parlamento helénico. Derrotada saiu a ala dissidente do Syriza: os extremistas não conseguiram eleger nenhum representante nas suas primeiras eleições.

tsiprasEm Portugal, os candidatos a primeiro-ministro já se manifestaram sobre a reeleição de Alexis Tsipras, agora sem o seu icónico primeiro ministro das Finanças, Yanis Varoufakis. Foi num jantar de campanha em Torres Vedras que Pedro Passos Coelho falou às televisões, afirmando não estar “preocupado” com o resultado grego: “eu não tenho estados de alma. Posso apenas dizer que, felizmente, Portugal vive hoje um clima bastante diferente daquele que se vive na Grécia”. O primeiro-ministro congratulou a coligação pela “estabilidade” e coesão vividas ao longos dos últimos quatro anos e por não ter levado Portugal à “perspetiva que infelizmente os gregos têm”: “um novo programa e a austeridade”.

Já o candidato socialista, António Costa, falou num jantar comício em Seia, negando também que as eleições gregas tenham influência nas legislativas de 4 de outubro. No entanto, Costa lembrou que os gregos”recusaram manifestamente regressar ao Governo de direita”, num resultado que espera vir a contribuir “para virar a página da crise na zona euro”. António Costa desejou que a Grécia “encontre um caminho de estabilidade e seja aliviado o sofrimento que a austeridade tem imposto ao povo grego ao longo destes anos”, mas também que este resultado contribua para a tranquilidade na zona euro.

Descomplicador:

Alexis Tsipras garantiu novo mandato com a vitória de ontem nas eleições antecipadas gregas. António Costa e Pedro Passos Coelho já reagiram.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *