Governo não aplicará mais medidas para cumprir objectivos

Maria Luís Albuquerque esteve hoje presente na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros e garantiu  que o objectivo de alcançar os 2,7% este ano continua intocável. Apesar de ontem o INE ter revelado que o défice de 2014 aumentou para 7,2% devido ao adiamento da venda do Novo Banco, a Ministra das Finanças assegurou que esse dado não mudará a estratégia do Governo e que não serão necessárias mais medidas para que as metas sejam alcançadas.

Maria Luis AlbuquerqueEm resposta aos jornalistas, a sucessora de Vítor Gaspar afirmou que a informação que o Governo possui é “a mais actualizada” e dá a garantia de que os objectivos possam ser cumpridos. Maria Luís Albuquerque avançou que é possível, por isso, evitar a “necessidade de medidas adicionais, planos de contingência ou planos B”. A Ministra das Finanças relembrou ainda a quantidade “de previsões que sucessivamente têm vindo a ser revistas em baixa, aproximando-se da meta do Governo”.

Os jornalistas presentes questionaram ainda a ministra em relação à devolução da sobretaxa. Esta medida prevê começar a devolver a sobretaxa se o valor da receita obtida do IVA e do IRS for superior àquele previsto pelo Governo. Sobre esta temática, Maria Luís Albuquerque quis descansar os portugueses: “É um compromisso que está na lei. A menos que fosse mexida a lei (…) o valor a devolver será o que resultar do apuramento a 31 de Dezembro. Não tem qualquer relação com a questão do défice”.

A confiança demonstrada hoje por Maria Luís Albuquerque não é novidade. Já ontem Pedro Passos Coelho tinha avançado que os dados que o INE deu a conhecer se tratavam de indicadores meramente estatísticos e que não teriam influência no dia-a-dia dos portugueses.

Descomplicador:

O Governo, pela voz de Maria Luís Albuquerque, garantiu que não serão necessárias mais medidas para cumprir as metas estabelecidas para este ano, assegurando que o disparo do défice ontem anunciado em nada influencia a estratégia do executivo.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *