“Imaginei o arrepio na espinha só de os portugueses imaginarem que a direita ganhava”

António Costa esteve num comício em Almeirim na noite de Sexta-Feira, no Cine-Teatro local. Com o espaço com capacidade para 230 lugares sentados a abarrotar, com muitas das pessoas a ficarem de pé, António Costa lançou a primeira ofensiva directa contra a direita, marcando assim o lançamento da última semana de campanha que se prevê intensa.

António CostaNum território muito próximo de António José Seguro, António Costa começou por garantir que “a primeira conclusão da minha grande sondagem é que há uma esmagadora maioria de portugueses que quer uma mudança é uma nova política”, garantindo também que a única forma de “derrotar a direita é dando a vitória ao Partido Socialista”.

O Secretário-Geral do Partido Socialista arrancou gargalhadas quando disse “imaginar o arrepio na espinha que os portugueses tiveram só de imaginar que a direita podia ganhar, quanto mais com maioria absoluta”, criticando a insensibilidade do executivo de Passos Coelho ao longo dos últimos quatro anos.

Para António Costa, “as famílias continuam a não ter rendimentos para sustentar o seu agregado”, deixando a garantia que o PS não precisa de “mexer uma vírgula nos nossos compromissos porque as nossas contas estavam certas e as deles ruíram como um castelo de cartas”, pedindo assim confiança “na equipa do PS, no líder do PS, porque os compromissos que assumimos estão escritos tem as contas feitas e são esses que vamos assumir”.

O líder do Partido Socialista diz ainda que este Governo “falhou no défice e na dívida”, chegando aqui com “um défice praticamente igual ao défice que queriam reduzir ao que receberam em 2011”. Num apelo à mobilização geral, António Costa pediu aos militantes presentes no comício que agora “mobilizassem todos os outros, dizendo que não é ficando em casa, nem no café a dizer mal, nem esperando pela próxima manifestação, é no dia 4 que a mudança tem de ser feita”, avisando ainda que “todos aqueles que ficarem em casa estão a ajudar a direita”.

“Até já na sardinha cedem. Pode alguém ser quem não é?”

O cabeça-de-lista do Partido Socialista por Santarém, ex-Ministro da Solidariedade Social, Trabalho e mais tarde da Economia, nos governos de José Sócrates fez toda a sua intervenção sob o leme da pergunta: “pode alguém ser quem não é?”, abordando um conjunto de “falhas” de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas,

Para Vieira da Silva, Pedro Passos Coelho foi o “Primeiro Ministro que mais aumentou as desigualdades no país”, não podendo agora dizer que “vai dedicar a sua atenção ao combate às desigualdades”, aproveitando assim para apelar que “não há alternativa para mudar este fanatismo ideológico e a austeridade que não seja votar no Partido Socialista”.

O ex-Ministro da Economia afirma ainda que “a direita conseguiu, não tanto como queria, empobrecer o país”, contando o episódio “de Pedro e dos mil euros, onde Passos Coelho garantia que quem ganhava mil euros não ia pagar a crise”. Vieira da Silva abordou ainda os fundos comunitários e as “quotas da sardinha, que agora até já na sardinha cedem, em promessas novas, todos os dias”.

Vieira da Silva referiu ainda que “se o Governo não fez mais cortes foi porque o Tribunal Constitucional a pedido dos socialistas e de outros democratas impediram”, dizendo que o “Partido Socialista não aceita mais um corte de 600 milhões de euros nas prestações sociais”.

A intervenção de Vieira da Silva foi concluída novamente com um apelo ao voto, onde garantiu que “quem foi o rosto da austeridade não pode ser o rosto da esperança”, acrescentando que prefere “alguém que mostrou ser um excelente Ministro, um excelente Secretário de Estado e um excelente Presidente da Câmara do que alguém que mostrou ser um péssimo Primeiro Ministro”.

“Sempre que um Secretário-Geral do PS vem a Almeirim, a seguir ganha”

Pedro RibeiroAntes de Vieira da Silva e de António Costa, intervieram no comício em Almeirim, o Presidente da Câmara de Almeirim, Pedro Ribeiro que recordou que “sempre que um Secretário-Geral do PS vem a Almeirim, a seguir ganha, abordando ainda as temáticas da educação e saúde, mas criticando Paulo Portas ao dizer que “apesar da postura de lavrador, apesar de até terem a presença do presidente da CAP nos comícios aquilo que os agricultores me transmitem é que o último Ministro da Agricultura [António Serrano] e um óptimo exemplo de governação”.

Pedro Ribeiro deixou ainda o convite a António Costa para “almoçar ou jantar em Almeirim, assim que o Partido Socialista cumpra a sua promessa de baixar o IVA da restauração”.

Já o presidente da Federação Distrital, António Gameiro, recordou que “no PS nem sempre estivemos do mesmo lado”, mas para logo dizer que “comigo António Costa sempre foi leal, ao contrário de Passos Coelho que já veio ao Ribatejo três vezes e mentiu nessas três vezes”.

Descomplicador:

António Costa esteve num comício em Almeirim onde iniciou a última semana de campanha, apelando à mobilização dos militantes para convencerem a restante população. Vieira da Silva, cabeça-de-lista pelo distrito recordou a insensibilidade do Governo liderado por Passos Coelho.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *