Legislativas ’15 – As reacções em exclusivo ao Panorama

Desde as 19h de Domingo, 4 de Outubro, o Panorama foi ouvindo um conjunto de reacções de figuras ligadas a todos os quadrantes partidários. Do lançamento das primeiras projecções até aos resultados finais, aqui ficam as reacções exclusivas ao Panorama.

Após as projecções:

João Semedo – Ex-Coordenador do Bloco de Esquerda:

“A direita perdeu a sua maioria, a esquerda tem a maioria dos votos e do país. A grande votação do Bloco significa que há no pais um grande apoio às nossas propostas e soluções para tirar o pais da crise e acabar com a austeridade”.

Alexandre Luz – Presidente do PSD Oeiras:

“Nesta fase apenas que afinal de contas as sondagens nem estiveram assim tão erradas. Ao longo da campanha fomos tendo a noção dos erros e falhas de cada uma das candidaturas. Houve quem se adaptasse bem e conseguisse responder aos desafios e houve quem não o conseguisse. E o resultado está à vista”.

Já com resultados apurados:

Filipe Lobo D’Ávila – Ex-Secretário de Estado da Administração Interna, Porta-voz do CDS e deputado eleito por Lisboa:

“Ainda estamos a apurar os últimos mandatos mas é de facto um resultado onde a coligação consegue manter uma votação bastante expressiva e consegue o impensável à meses atrás que era vencer. O que se sentia na rua, pouco a pouco, com um grande entusiasmo à volta da nossa campanha acaba por resultar nestes números. Foi um período muito difícil e a coligação vê assim o reconhecimento ser feito de forma clara pelos portugueses.

A Juventude Popular e a JSD foram um motor extraordinário nesta campanha, a JP de Lisboa esteve absolutamente imparável, que fez com que os nossos candidatos se envolvessem muito mais com a campanha e com as pessoas. O que fomos vendo foi uma campanha em crescendo em Lisboa, que tem várias realidades, urbanas e rurais e sabíamos que no concelho a coligação iria ter um trabalho mais difícil e onde seria preciso reforçar a nossa força e a nossa proximidade às pessoas. Acho que o conseguimos fazer com sucesso”.

Diogo Leão – Secretário-Geral Adjunto da Juventude Socialista e deputado eleito por Lisboa:

“Hoje os portugueses mostraram que querem derrubar as politicas de austeridade. Nenhuma força politica conseguiu um resultado avassalador, o que demonstra alguma alteração do paradigma politico parlamentar por vontade do eleitorado. O PS reconhece os resultados com humildade e irá prosseguir o seu projecto politico no quadro parlamentar”.

Panorama Legislativas

Francisco Rodrigues dos Santos – Presidente da Juventude Popular de Lisboa:

“O povo português decidiu atribuir uma vitória inequívoca a coligação na exacta medida em que deseja que o próximo governo seja constituído pelas forças políticas que devolveram o crescimento económico e o horizonte de esperança num futuro melhor”.

Filipe S. Henriques – Dirigente do LIVRE

“O resultado das eleições foi, na sua imagem mais geral, o que se esperava: a direita perdeu a sua maioria e o novo parlamento terá uma maioria absoluta à esquerda. Infelizmente os partidos à esquerda optaram por seguir a sua história de guerrilha e uma maioria de esquerda vai resultar num governo de direita. À esquerda do PS existiram bons resultados. O PCP continua a melhorar os seus resultados e o BE tem um grande aumento. O PAN entra no parlamento, no que é uma nova esperança para o pluralismo partidário e para uma política mais ecologista. Os resultados do LIVRE/TdA foram manifestamente negativos. Em Lisboa, onde esperávamos eleger, não o conseguimos. Mas conseguimos mostrar uma nova forma de fazer politica, e espero que isso traga resultados a médio prazo. Não entrámos no parlamento, mas lutamos por aquilo que acreditamos”

No “day after”:

João Almeida – Secretário de Estado da Administração Interna em funções, deputado eleito por Aveiro:

“A vitória da PaF é histórica e representa o reconhecimento pela capacidade que PSD e CDS tiveram para salvar o país de uma situação dramática. Em Aveiro, a manutenção da relação de forças prova que num distrito onde há mais investimento, mais, crescimento económico e mais emprego, é natural continuar a haver mais PSD e CDS”.

Margarida Balseiro Lopes – Secretária-Geral da JSD e deputada eleita por Leiria:

“A noite de ontem resultou numa grande vitória da coligação Portugal à Frente. Há uns meses atrás seria impensável para muitos acreditar que era possível a Coligação ousar ganhar estas eleições, mas a campanha eleitoral mostrou claramente as diferenças dos dois principais projetos para o país que foram apresentados pela Coligação e pelo PS.

Os portugueses perceberam que a melhor opção era confiar numa coligação que conseguiu colocar o país a crescer e que oferece estabilidade para futuro. Em Leiria, como pudemos testemunhar, a coligação teve um resultado extraordinário, fruto do trabalho que tem sido feito no distrito pelo Governo, pela qualidade da lista que apresentámos e porque as pessoas do distrito de Leiria confiaram na coligação”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *