Banco de Portugal acredita em défice abaixo dos 3%

O Banco de Portugal divulgou hoje o seu boletim de Outubro, onde dá conta que o défice português pode mesmo ficar abaixo dos 3% do Produto Interno Bruto (PIB) até ao final do ano de 2015. O défice que foi revisto em alta devido à penalização do Fundo de Resolução do Novo Banco pode mesmo terminar o ano em situação tida como normal.

Banco de PortugalTem sido uma forte aposta do Governo, que Portugal saia do Procedimento de Défice Excessivo até ao final do ano, com a meta a cifrar-se para já nos 2,7%. O Banco de Portugal divulgou hoje no seu relatório de Outubro que tal objectivo pode ser conseguido, sem no entanto deixar de alertar para o facto de “manter as tendências de evolução subjacentes à execução do primeiro semestre e, em particular, as medidas de política orçamental actualmente em vigor”.

O Banco de Portugal alertou que o “actual nível da dívida publica é uma vulnerabilidade latente da economia portuguesa”, alertando o Governo para manter a sua concentração no cumprimento das medidas orçamentais que estão previstas no âmbito dos acordos europeus.

Ainda no relatório a entidade portuguesa de supervisão bancária diz que “ss estimativas apontam para que uma parte significativa da redução do défice orçamental prevista para 2015 decorra de uma recuperação da actividade económica, em particular ao que se refere ao consumo privado e à massa salarial”.

Por fim, no que toca ao crescimento económico, o Banco de Portugal espera que o crescimento seja acima da Zona Euro, previsto para 0,9%, esperando-se para Portugal um valor a rondas os 1,5%, relembrando ainda o Banco de Portugal a “melhoria na afectação de recursos empregues na economia”.

Descomplicador:

O Banco de Portugal publicou hoje no seu relatório de Outubro que é possível o cumprimento das metas do défice para o ano de 2015, alertando no entanto para o facto de ser necessário continuar a cumprir as metas orçamentais estabelecidas no âmbito dos acordos europeus.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *