O dia de António Costa: Costa já reuniu com Cavaco Silva

antónio costaAntónio Costa completa esta segunda-feira a ronda de primeiros contactos com as forças partidárias com assento parlamentar. Da parte da manhã, o ex-Presidente da Câmara de Lisboa reune-se com o Bloco de Esquerda. Da parte da tarde a agenda socialista tem dois apontamentos: encontro com o PAN, por volta das 14h30, e ida de António Costa ao Palácio de Belém, onde será recebido por Cavaco Silva, às 16h00.

Num momento em que existe uma especulação crescente quanto à solução governativa que se segue, o líder socialista tem sobre si grande parte dos focos. António Costa está mandatado pelo partido para contactar todos os partidos e apresentar uma solução. E neste momento há duas em cima da mesa: entendimento com os partidos de esquerda de forma a viabilizarem um Governo socialista ou viabilização por parte do PS de um Executivo liderado pela coligação PàF.

11h00 – António Costa chega à sede do BE. O líder socialista fez-se acompanhar da já habitual comitiva – Carlos César, Ana Catarina Mendes, Pedro Nuno Santos e Mário Centeno – para reunir como Bloco de Esquerda. O partido de Catarina Martins levou também cinco membros para este encontro: para além da líder bloquista estiveram sentados à mesa Pedro Filipe Soares, Mariana Mortágua, José Gusmão e Pedro Soares.

As duas delegações estão agora reunidas para discutir eventuais entendimentos. Lembre-se que o Bloco de Esquerda na pré-campanha e na noite eleitoral já tinha estipulado as suas condições para fazer um acordo com o PS. As exigências enumeradas por Catarina Martins eram três: que os socialistas deixassem cair o “corte de 1600 milhões nas pensões”, a TSU e o regime de despedimento conciliatório.

13h17 – A reunião terminou por volta das 13h00. Depois de duas horas de conversações António Costa foi primeiro a dirigir-se à comunicação social.

BE e PSNas palavras do líder socialistas a reunião foi “muito interessante” e o saldo do encontro foi positivo. À semelhança do que acontecera com o PCP e com o PEV, as conversações desta manhã com o Bloco de Esquerda foram conclusivas e apontam no sentido de ser possível encontrar pontos de convergência entre PS e BE. Para António Costa, foi possível “alargar a base de sustentação de uma solução governativa estável” e está aberta a possibilidade de se encontrar uma alternativa governativa à esquerda.

O secretário-geral do PS referiu ainda que assim que tiver reunido com todos os partidos pretende reunir a Comissão Política do partido para apresentar as conclusões dos encontros. O ex-Presidente da Câmara de Lisboa anunciou que tinha proposto que essa reunião acontecesse amanhã mas, devido ao facto de a coligação PàF não ter ainda enviado os documentos necessários para a preparação do segundo encontro, a reunião com a Comissão Política terá de ser adiada. Ficou ainda por esclarecer se o encontro com PSD e CDS se mantém para esta terça-feira ou se será, também ele, adiado.

13h25 – “No que depende do Bloco de Esquerda, o Governo de Passos Coelho e Paulo Portas acabou hoje”. Esta é talvez a frase que vai marcando esta segunda-feira de reuniões e negociações partidárias. Foi proferida por Catarina Martins à saída do encontro entre a delegação do PS e a do Bloco de Esquerda. A leitura que a líder do partido faz da reunião desta manhã é bastante positiva. Catarina Martins garantiu que foram encontrados pontos de convergência que permitem continuar a trabalhar numa alternativa de governativa de esquerda.

A líder do BE preferiu salientar que a discussão se centrou em políticas e não em eventuais postos políticos. Catarina Catarina MartinsMartins não esclareceu por isso se o Bloco de Esquerda pretende vir a integrar um eventual Governo com o PS ou se apenas irá garantir a viabilização de um Executivo socialista. O que é certo é que António Costa está muito perto de ter garantias dos partidos de esquerda que permitam a formação de um Governo alternativo ao de Passos Coelho e Paulo Portas. O que ainda não está determinado é em que moldes esse acordo pode vir a ocorrer.

Depois de duas reuniões que o PS considerou positivas na semana passada – PCP e PEV – e de uma que António Costa classificou como “inconclusiva” – com a coligação PàF -, os socialistas retiram deste encontro ilações positivas. Neste momento as reuniões que o PS tem tido com os partidos de esquerda têm sido mais produtivas do que a que tiveram com PSD e CDS. Apesar de a balança pender para a esquerda um entendimento com a PàF continua em cima da mesa e aguarda-se pela reacção à próxima reunião entre ambas as partes.

14h50 – As negociações com os partidos continuam e neste momento a comitiva socialista encontra-se reunida com o PAN. Recorde-se que o partido de André Silva, porta-voz, foi eleito pela primeira vez para a Assembleia da República no passado dia 4 de Outubro através da eleição de um deputado pelo círculo de Lisboa.

A delegação do PS destacada para esta reunião é a mesma dos outros encotros partidários. Do lado do PAN, para além de André Silva estão presentes três membros da comissão política do partido – Francisco Guerreiro, Jorge Silva, Miguel Santos -, e ainda o responsável pelas finanças do PAN, Miguel Correia.

16hoo – A reunião do PS com o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) terminou cerca das 15h45. O encontro durou pouco menos de uma hora e à saída António Costa falou aos jornalistas numa declaração curta, devido ao facto de já se encontrar atrasado para a reunião com Cavaco Silva, em Belém.

O líder socialista voltou a usar a expressão que utilizara para classificar a reunião desta manhã com o Bloco de Esquerda: “muito interessante”. O secretário-geral do PS revelou ainda que o PAN entregou um “documentos sólido” e “extenso” sobre a posição do partido. António Costa considera que o documento merece uma análise mais detalhada e por isso ficaram agendadas mais reuniões entre ambos os partidos para continuarem a trabalhar em conjunto para encontrar pontos de convergência.

André Silva, que falou aos jornalistas depois do líder do PS, ressalvou o facto de este encontro ser apenas um dosAndré Silva PAN muitos que o partido que manter com todas as forças políticas. O agora deputado não revelou as propostas que continha o documento entregue à delegação socialista e disse apenas que se tratava do conjunto de medidas “anunciadas ao longo da campanha”.

O porta-voz do PAN afirmou estar aberto a mais diálogos, quer seja com o PS ou com outro partido, sempre e quando o objectivo seja o de “garantir a estabilidade, a felicidade e o bem-estar” dos portugueses. André Silva garantiu ainda que os socialistas demonstraram que existe “espaço para se encetarem negociações, diálogo, para se encontrarem pontes e eventuais soluções”.

16h07 – António Costa chega a esta hora a Belém, com um ligeiro atraso. Neste momento já se encontra reunido com o Presidente da República, Cavaco Silva.

Entretanto, numa nota enviada à comunicação social, a coligação PàF faz saber que o documento a que António Costa se referiu à saída do encontro com o Bloco de Esquerda já foi entregue ao PS. Pode ler-se no comunicado a que o “documento facilitador de um compromisso entre a Coligação Portugal à Frente e o Partido Socialista para a governabilidade de Portugal” foi entregue às 15h50 desta terça-feira.

A coligação PSD/CDS-PP afirma ainda que depois de ter entregado este documento aguarda agora pela confirmação da hora a que se deve realizar a reunião entre ambas as forças, que está agendada para amanhã.

18h10 – O encontro entre António Costa e Cavaco Silva terminou duas horas depois de ter tido início. Em declarações à comunicação social, o líder socialista revelou que aproveitou a reunião para dar conta ao Presidente da República daquilo que têm sido os primeiros contactos que tem mantido com os partidos que elegeram deputados no passado di 4 de Outubro.

O ex-Presidente da Câmara de Lisboa rejeitou avançar com avaliações “preliminares” sobre qual será o desfecho do impasse que se vive actualmente para a formação do novo Governo. António Costa voltou a sublinhar o facto de nos encontros que tem mantido ao longo dos últimos dias tem “encontrado uma distinção entre o programa partidário e as condições mínimas para formar um Governo” e acrescentou que nenhuma força política mostrou preocupações que fossem contrárias às de Cavaco Silva.

Sobre o documento que a coligação PàF enviou ao líder socialista minutos antes da reunião com o Presidente da Republica, António Costa relembrou que ainda não teve oportunidade de o ler mas que o fará ainda hoje.

18h20 – O dia de reuniões do secretário-geral do Partido Socialista chega assim ao fim. O balanço dos contactos com BE e PAN foi positivo e classificou ambos como tendo sido muito interessantes. Sobre o encontro com Cavaco Silva, António Costa referiu que aproveitou para pôr o Presidente da República a par da leitura preliminar que faz dos primeiros contactos com as diferentes forças partidárias.

Para esta terça-feira está marcado um encontro entre a coligação PàF e o PS mas ainda não está acertada qual será hora. Há ainda a possibilidade de esta reunião ser adiada devido ao facto de PSD e CDS-PP terem enviado o documento necessário para a preparação do encontro apenas esta tarde.

Publicado por: José Pedro Mozos

23 anos, natural de Lisboa. Aos dezasseis anos percebeu que a sua vocação era o jornalismo. Licenciado em jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós graduado em Jornalismo Multiplataforma pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Entre março de 2016 e junho de 2017 passou pela SIC Notícias. Faz parte da editoria de política da Revista VISÃO desde julho de 2017. Acredita no jornalismo como sendo um dos pilares de qualquer democracia. Atualmente, faz parte do Conselho Editorial do Panorama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *